As novas habilidades profissionais que farão diferença nos próximos 20 anos

Estar preparado para o futuro profissional faz toda a diferença para nos manter bem posicionados no mercado de trabalho

O mundo está em constante mudança. Nos últimos anos estamos presenciando uma mudança importante no mercado de trabalho, não apenas em relação as habilidades técnicas dos profissionais, mas também na forma como as pessoas se relacionam com os outros, com o ambiente de trabalho e com seus objetivos pessoais. 

Nós da MetLife compreendemos a apreensão em torno do futuro profissional. Apesar de hoje estarmos empregados, amanhã novas oportunidades podem surgir e é preciso estar preparado para isso. E em meio a tantas transformações, separamos algumas habilidades profissionais que farão diferença num futuro muito próximo.

Como será o futuro profissional?

As profissões estão mudando. Há alguns anos, profissões como motorista de aplicativo, influencer digital e babá de cães, por exemplo, não existiam. O surgimento de novas funções no mercado de trabalho só se tornou possível porque o mundo está evoluindo tecnologicamente e conectando cada vez mais a sociedade.

A transformação tecnológica, a globalização, a demografia, a incerteza política e a sustentabilidade são alguns dos fatores que estão e continuarão provocando a mudança no mercado de trabalho. 

Isso não quer dizer que os seres humanos serão substituídos por robôs. A questão é que tarefas que são repetitivas e que custem caro podem ser trocadas por máquinas. Em contra partida, atividade que demandam criatividade, poder analítico, de gerenciamento e coordenação serão muito valorizadas em um profissional. 

Portanto, é preciso desenvolver habilidades que, mesmo que sua função específica não exista mais daqui a alguns anos, continuem sendo essenciais no mercado de trabalho no futuro.

Adaptação

Adaptar-se é fundamental em qualquer situação em que não estamos na nossa zona de conforto. Em uma fase de mudanças, o poder de adaptabilidade faz com que você se mantenha ativo no mercado de trabalho.  

Por exemplo, na crise econômica que aconteceu no Brasil nos últimos anos, muitas pessoas perderam seus empregos. Algumas delas mudaram de profissão e hoje trabalham como motoristas de aplicativo, profissão essa que surgiu em meio à crise.

Criatividade

Profissões que tenham como requisito a criatividade, como criadores de conteúdo, designers, educadores, entre outras, se manterão, pelo menos nos próximos 20 anos. Isso porque, robôs ainda não conseguem ser criativos. 

Além disso, usar da criatividade para inovar em sua área ou para oferecer um serviço que ainda não existe também é muito importante. 

Resiliência

Precisamos ser resilientes, no intuito de sempre continuar a aprender. Por mais que profissões desapareçam, novas funções surgem. Porém, é necessário que as pessoas estejam dispostas e com vontade de aprender essa nova profissão.

Um jornalista há alguns anos, ficava mais restrito à TV e a um jornal ou revista. Hoje, com o crescimento de plataformas como o Youtube e outras redes sociais, é possível - e preciso – estar presente nesses meios. Afinal, sua função é comunicar às pessoas, não importa por qual meio.

Proatividade 

A proatividade precisa ser uma habilidade de todas as pessoas. Com a Internet, quase tudo o que você precisa pode ser encontrada com apenas um ou poucos cliques. Por isso, não espere que as pessoas te digam tudo o que precisa ser feito. 

Pesquisar, se informar e colocar em prática o que precisa ser feito deve partir de você. 

Empatia

Independente das profissões do futuro, a empatia deve ser uma habilidade desenvolvida e praticada por todos. Através dela desenvolvemos uma capacidade de ouvir verdadeiramente o outro e se colocar na situação. Nos tornamos assim profissionais para capacitados para realizar conexões no dia a dia. 

Flexibilidade

Na juventude dos nossos pais, a ideia era estudar, se formar e fazer carreira em alguma grande empresa. Porém, nos dias atuais, isso é muito difícil de acontecer, já que as mudanças se tornaram mais frequentes.

Um exemplo, é a troca do trabalho presencial na empresa para uma modalidade de trabalho remoto. Mas, além disso, é estar disponível para ser flexível em sua forma de pensar e em relação ao aprendizado.

De forma geral, as pessoas precisam estar dispostas a mudar e a adquirir novas habilidades que vão ajudá-las a se adaptar às novas profissões do mercado de trabalho e à vida.