Dicas para comprar usando empréstimo pessoal

Saiba o que é mais vantajoso para você na hora de comprar um bem e fique no lucro

Na hora de realizar um sonho, como a compra de um carro novo, muita gente recorre aos empréstimos pessoais ou aos financiamentos. Mas o que é mais vantajoso para você nessa hora: contratar um empréstimo pessoal com seu gerente ou optar pelos financiamentos oferecidos pelas revendedoras?

Empréstimo pessoal diretamente com seu banco

Fazer um empréstimo pessoal com seu banco através do seu gerente, pode ser bem vantajoso na hora de comprar aquilo que deseja. Geralmente, por você já ser cliente de uma instituição financeira que tem informações a seu respeito e conhecem melhor o seu perfil de crédito, suas chances de conseguir um empréstimo pessoal com taxa de juros mais baixas são enormes.

Sem falar que as parcelas são menores e podem ser descontadas diretamente do seu salário, quando ele for creditado na conta. Outra boa vantagem é que você tem grande chance de não precisar comprovar nada para o banco, pois ele está de posse de todas as suas informações pessoais. Com as taxas de juros menores, seu poder de compra fica maior, pois você pode comprar o bem à vista.

Financeiras costumam ter taxas de juros maiores

Suponha que você quer comprar um carro novo. Você tem a opção de fazer o financiamento do valor total ou parcial do veículo através de empresas financeiras que fazem parte dos bancos que a concessionária mantém parceria.

Mas nem sempre elas são mais vantajosas. Primeiramente, a taxa de juros é bem maior quando se faz um financiamento desse tipo, o que pode ser um péssimo negócio. A burocracia para aprovação do crédito para financiamentos desse tipo é enorme. Muitas dessas empresas ainda trabalham com carnê de pagamento, o que te obriga a ter que ir a algum banco, todos os meses.

Analise com calma as suas opções

Se você tem uma boa relação com o gerente do seu banco em que é cliente há anos, analise se vale mais à pena fazer um empréstimo pessoal com taxas de juros mais baixas para comprar um bem à vista ou financiá-lo com instituições financeiras desconhecidas que têm taxas de juros altíssimas. Afinal de contas, ninguém quer pagar mais caro e ainda enfrentar burocracia na hora da compra.