Masculinidade Tóxica: Veja 5 dicas para lidar com esse problema no ambiente de trabalho

Compreender o que é a masculinidade tóxica e o que pode ser feito para combatê-la são estratégias importantes para a rotina moderna

O trabalho é um dos principais elementos da vida moderna. Dedicamos grande parte do nosso tempo para desempenhar nossas funções da melhor forma e em alta performance. 

Porém, essa rotina intensa dentro do ambiente de trabalho, acaba funcionando como gatilho para uma série de comportamentos nocivos para a convivência em equipe.  

Como parte dessa leitura, um dos problemas que têm ganhado bastante atenção, justamente por causa da sua abrangência na rotina de trabalho, é a masculinidade tóxica. Comportamento que pode ser entendido como uma série de idéias pré-estabelecidas sobre o papel do gênero masculino e que liga a noção de ser homem à necessidade de ser violento, não demonstrar emoções, ser sexualmente agressivo, entre outros comportamentos. 

Com isso em vista, a equipe MetLife listou 5 dicas para lidar com a masculinidade tóxica no ambiente de trabalho e melhorar a rotina e o dia a dia dentro da empresa. Vem com a gente. 

Identificando os comportamentos e falando sobre o assunto 

A masculinidade tóxica vem ganhando mais atenção a cada dia. Falar sobre isso na empresa e discutir possibilidades que possam ser implementadas em todos os ambientes é sempre uma ótima ideia. 

Criar discussões que falem sobre como esses comportamentos podem ser evitados e pensar em novas possibilidades para o ambiente empresarial, em conjunto com o time gerencial, é uma boa forma de fazer com que o tema seja abordado por todos e os problemas causados por esses comportamentos possam ser reduzidos. 

Um ambiente de trabalho que premia a disputa  

É comum em algumas empresas acontecer a valorização das disputas para ver quem trabalha mais, quem é o mais forte, entre outros quesitos tipicamente vinculados à masculinidade tóxica. 

Enfrentar esse tipo de comportamento vindo dos superiores pode ser um grande desafio. Por isso, vale a pena conversar com o RH e encontrar formas de sugerir que o reconhecimento pelas tarefas desenvolvidas aconteça de acordo com boas práticas de trabalho, e melhor investimento de tempo, por exemplo, não por quem passa mais tempo trabalhando. 

Mansplanning e Manterrupting: Problemas que precisam ser confrontados 

O mansplanning e o manterrupting são termos cunhados em inglês para o homem que tenta explicar um tópico desnecessário para uma mulher ou que interrompe uma mulher, de forma desnecessária, não permitindo que ela consiga terminar sua linha de raciocínio. 

Esses dois comportamentos são os principais indicadores da masculinidade tóxica e demandam atenção no ambiente de trabalho. Se você é homem, vale a pena prestar atenção se não está interrompendo ou simplesmente não deixando outra pessoa falar.  

Em todo caso, sempre vale a pena conversar a respeito desse comportamento com a pessoa que tem esse comportamento como padrão ou, em casos mais pontuais, conversar com o RH, também é uma boa alternativa. 

Não tenha medo de pedir ajuda quando preciso 

Homens são ensinados quase o tempo todo que precisam ser auto suficientes. Esse é mais um comportamento da masculinidade tóxica. No trabalho, quando há a necessidade de pedir ajuda, não exite em fazer. Se mantenha aberto para colaborar e criar novos laços como parte da rotina das suas funções. 

Divida o crédito do seu trabalho 

No trabalho, assim como na vida, ninguém faz nada sozinho. E saber dividir os créditos por isso é uma boa forma de não deixar que o ambiente seja tomado pela masculinidade tóxica. 

Compartilhar os louros com a equipe é uma forma de compartilhar os bons momentos e, mais uma vez, criar laços de confiança que funcionam muito bem na redução da tensão que comportamentos competitivos podem trazer.  

A MetLife, por meio da oferta de um completo pacote de cuidados, auxilia na manutenção de um dia a dia saudável como parte da rotina pessoal e de trabalho.