Que tal trocar performance por qualidade de vida?

A sociedade da competitividade e da performance afetam bastante a qualidade de vida dos trabalhadores

Em uma sociedade que endeusa a performance, nada mais natural do que termos trabalhadores, com receio de perderem o emprego, chegando ao esgotamento físico e mental, por darem o máximo de si.

A sociedade da performance, também conhecida como sociedade do cansaço, está cada vez mais presente no dia a dia de todos nós. Diante disso, nos deparamos com o seguinte dilema: será que vale a pena trocar a performance por mais qualidade de vida? Veja o que a MetLife abordou sobre o assunto.

O que é a sociedade da performance?

Podemos dizer que é uma sociedade que foi criada pelo mundo contemporâneo e que é altamente estimulada pelos excessos, principalmente, no âmbito profissional. Muitos trabalhadores chegam ao limite e ficam literalmente esgotados. 

O mercado de trabalho nos cobra, cada vez mais, por uma excelente performance na execução das atividades do dia a dia. Mas a sociedade do cansaço, como também é conhecida, até tem suas vantagens, mas cobra um preço alto. Saiba como ela pode ser prejudicial para nossa qualidade de vida.

Problemas de saúde

Estresse, depressão, transtorno de atenção, hiperatividade e síndrome de burnout. Esses são apenas alguns dos distúrbios provocados pela sociedade da performance. Não que exista algum problema em se ter uma boa performance no trabalho e isso é até saudável, do ponto de vista profissional.

O problema é quando a cobrança por mais e mais produtividade deixam os trabalhadores no limite da exaustão. Esse excesso de positividade, muitas vezes, provoca uma manifestação corporal que é sentida através de distúrbios físicos e mentais. Um colaborador, vítima da sociedade do desempenho e produção, não consegue ter qualidade de vida, o que prejudica bastante a sua saúde.

Vida em família prejudicada

Você não vive somente do trabalho, certo? Muito embora ele seja fundamental em sua vida, a sua família também deve ser uma das suas prioridades. Se você for mais uma vítima da sociedade da performance, o seu convívio familiar, mesmo que indiretamente, vai ficar prejudicado.

Mesmo que você ainda não tenha chegado ao esgotamento físico e mental no trabalho, típico da síndrome de burnout, pode estar muito perto disso, se não tomar as rédeas da situação. Por isso, não veja somente o seu trabalho como o mais importante de tudo. Dê atenção às pessoas que te amam e não deixe a sua vida no seio familiar ser prejudicada por causa dos excessos que a sociedade nos impõe.

Menos trabalho, mais qualidade de vida

Não adianta insistir: essa é a chave para ser ter mais qualidade de vida no dia a dia. Em tudo é preciso que haja em um equilíbrio para as coisas fluírem naturalmente. Somente assim é possível aliar trabalho, boa saúde, disposição e qualidade de vida.

Dessa forma, programe sua rotina para que você possa fazer de tudo um pouco e não ficar atrelado somente ao seu trabalho. Para tudo na vida existe um limite e a partir do momento que você perceber que seu trabalho está prejudicando sua saúde e seu bem-estar em família, é melhor cogitar a possibilidade de mudar os ares em prol de mais qualidade de vida.

Esperamos que nossas dicas tenham lhe ajudado a decidir o melhor para sua vida profissional. Às vezes, o preço a ser pago para a sociedade da performance costuma ser bem alto.