Cesta básica ou vale-alimentação, qual o melhor para sua empresa?

Entenda como chegar ao melhor benefício para empresa e funcionários

Diante da disputa acirrada por talentos, entregar benefícios que realmente sejam capazes de encantar os colaboradores é uma das principais missões do RH.

Assim, a demanda por incentivos capazes de motivar os profissionais e retê-los na empresa passa a ser parte importante da estratégia das áreas de recrutamento e seleção.

A equipe MetLife reuniu as diferenças e vantagens entre a cesta básica e o vale-alimentação para você poder avaliar qual faz mais sentido para seu perfil de colaborador. Confira:

As diferenças entre os dois benefícios

Apesar da cesta básica e do vale-alimentação estarem diretamente ligados ao segmento da alimentação, existem diferenças importantes a serem consideradas no momento de pensar em colocá-los na cesta de benefícios.

A cesta básica é composta pelos itens básicos de alimentação e é montada pelo empregador. Algo que tira a liberdade de escolha do funcionário, tanto de produtos quanto de marcas.

Já o vale-alimentação é uma transferência de valor direta, que possibilita a escolha do funcionário de onde e como gastar o valor recebido mensalmente.

Por que optar pela cesta básica?

Optar pelo fornecimento da cesta básica acaba se tornando uma boa alternativa caso a empresa disponha de um refeitório e não esteja localizada em um grande centro.

Esse modelo de benefício se encaixa de forma menos dispendiosa à rotina administrativa da empresa, caso ela esteja entre o porte pequeno e médio, já que os funcionários acabam economizando tempo ao receber os principais produtos que compõem sua alimentação diretamente no trabalho.

Por que optar pelo vale-alimentação

O vale-alimentação é uma ferramenta que garante total liberdade ao beneficiário e libera a empresa de todos os processos referentes a logística de recebimento e entrega. 

Empresas de porte médio ou grande têm mais vantagens em optar por essa modalidade, já que a facilidade para efetuar a distribuição auxilia bastante no dia a dia da administração dos benefícios.

Qual o melhor para a sua empresa?

Por fim, com estes prós e contras devidamente elencados, é necessário levar em consideração a dinâmica de distribuição dos benefícios da empresa e os custos que envolvem a contratação de uma das duas opções.

Vale a pena fazer um levantamento entre funcionários, caso seja possível disponibilizar as duas formas de recebimento, e assim encontrar o equilíbrio entre o melhor para a empresa e o melhor para os times que compõem a operação.