A importância da família na formação profissional do jovem com necessidades especiais

O apoio da família é fundamental na inclusão dos PNEs no mercado de trabalho

Para construir uma sociedade inclusiva é preciso, antes de qualquer coisa, uma mudança no pensamento das pessoas e na estrutura da sociedade. Tal mudança requer tempo e adaptações para que haja a aceitação das pessoas com necessidades especiais também no ambiente de trabalho. 

Sabe-se que a falta de qualificação profissional é o principal problema que as empresas enfrentam na hora de contratar uma pessoa com necessidades especiais. Porém, hoje, as empresas são obrigadas a contratar essas pessoas e por isso, os empresários investem cada vez mais na qualificação dos portadores de deficiência, conseguindo assim prepará-los para o mercado de trabalho.  

Mas, além das qualidades profissionais, as empresas procuram por colaboradores responsáveis, íntegros e comprometidos, qualidades que podem ser desenvolvidas com o auxílio e participação da família na formação profissional do jovem com necessidades especiais. Com base nesses conceitos, nós da MetLife gostaríamos de pontuar algumas questões importantes sobre o papel da família na hora de ajudar esse profissional se reencontrar com o seu potencial.

O papel da família na preparação profissional do PNE  

Historicamente, a família de uma pessoa com necessidades especiais mantém uma certa dependência de profissionais de diversas áreas para entender como agir e lidar em relação às necessidades de seus filhos. 

Obviamente a família deve buscar toda orientação que precisar, no entanto, ela não pode transferir a responsabilidade para esses profissionais, pois o trabalho deles só irá obter sucesso se tiver o apoio e participação de toda a família. 

Mas então como a família pode contribuir para a inserção e aprimoramento do jovem PNE no mercado de trabalho? Abaixo, listamos algumas breves orientações que podem auxiliar os pais nessa tarefa: 

Seja presente  

Assim como qualquer jovem, o portador de necessidades especiais pode ter muitas dúvidas sobre o início de sua jornada profissional. Nesse momento, é muito importante que a família esteja presente para auxiliar o jovem em suas dúvidas e inseguranças, pois isso será fundamental para desenvolver sua autoestima e segurança em relação a determinados comportamentos perante diferentes situações. 

Demonstre apoio  

Por conta da falta de experiência e por considerar que haja algumas limitações, é comum que o jovem com necessidades especiais sinta-se inseguro para tomar qualquer tipo de decisão sozinho. Essa é uma ótima oportunidade para a família demonstrar apoio e incentivá-lo na tomada de decisões.  

Encoraje-o 

É preciso muita atenção dos pais para não cercar o jovem de cuidados e excesso de proteção. Transferir aos filhos seus medos e angústias podem limitá-los e até mesmo desencorajá-los para encarar os desafios do mercado de trabalho.  

Quando um jovem não encontra na família o suporte necessário para lidar com questões pessoais e profissionais, dificilmente conseguirá obter bons resultados e fortalecer vínculos de convivência.  

Sendo assim, é fundamental abrir espaço para o diálogo e buscar formas de orientar o portador de necessidades especiais para que ele possa competir e se manter em igualdade dentro do mercado de trabalho.