Abriu empresa agora? Conheça os principais erros que você pode evitar

Profissionalizar a sua atividade requer atenção a diversos detalhes. Garanta o sucesso mantendo atenção a eles

Em um mundo regido pelo conhecimento, inteligência artificial e demais modernidades, abrir e gerenciar uma empresa pode, muitas vezes, parecer mais simples do que antigamente. Contudo, criar um negócio inovador do zero, fazê-lo dar os primeiros passos e até crescer é uma tarefa para poucos.

Mas, nós da MetLife acreditamos nas pessoas corajosas, que correm atrás e trazem novidades para o mundo dos negócios. Por isso, trouxemos algumas dicas para quem quer empreender e trazer um novo negócio para o mercado. Na verdade, aqueles erros que quem cometeu torce para não repetir. Vamos lá?

Não enquadrar corretamente a sua atividade

Ao abrir uma empresa, você deve determinar o CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) que vai organizar toda a sua vida empresarial: das questões tributárias até que tipo de serviço você pode realizar dentro de seu escritório. E até mesmo se precisa de um escritório! Quando o contador responsável por abrir a sua empresa não tem experiência no seu ramo de negócios, pode acontecer se um enquadramento errado fazer você pagar mais impostos, por exemplo.

Deixar a contabilidade na mão de amadores

Até por isso, essa história de deixar um primo de um amigo de um vizinho abrir empresa, é um barato que pode sair caro. Procure escritórios com renome assegurado, acesse sites e projetos de proteção ao consumidor para pesquisar reclamações e, claro, busque indicações de amigos do mesmo ramo que o seu.

Não pagar os impostos devidos

Se o ponto 1 e o ponto 2 foram seguidos corretamente, logo, logo as primeiras guias de impostos começaram a pintar no seu e-mail. Aceite: faz parte. Dependendo de sua atividade serão impostos municipais, estaduais e federais. Manter as guias pagas em dia (ou até antes), garante acesso a linhas de crédito e melhor pontuação e concorrências para o governo, entre outras vantagens. Não deixe a bola de neve se acumular!

Contratar pelo valor do salário e não pela qualidade do currículo

Montar a equipe de funcionários é um dos primeiros desafios de qualquer empresa, por menor que seja. Entender isso como gasto, contudo, pode ser uma estratégia ruim. Em uma época em que vivemos cercados de conhecimento 100% do tempo acessível, saber lidar com esses dados é fundamental. E isso quer dizer, boa formação, bons cursos e experiência.

Focar somente no ganho inicial, aquele que se reflete em maior lucratividade, pode funcionar no curtíssimo prazo, mas faz sua empresa perder competitividade no médio e longo prazos. Foque nos talentos e desenvolva formas de retê-los. Uma dica? Qualidade de vida.

Não treinar funcionários

Outra dica: valorizar a "fome de aprender" da equipe. Procure capacitá-los in-company ou com cursos externos, sempre considerando uma parceria "ganha-ganha". A ideia é criar uma melhor equipe e colaborar com a melhoria do currículo de cada funcionário. Deixar a equipe estagnada passa várias mensagens ruins, inclusive um não compromisso com o médio e longo prazos, o que gera insegurança e queda de produtividade.

Não seguir aprimorando as suas capacidades de gestor

Isso vale para os administradores da empresa também. Programas como o EMPRETEC, uma metodologia da ONU que é representada pelo SEBRAE aqui no Brasil, há anos capacitam novos empresários nos fundamentos do empreendedorismo sério e com propósito.

Assim como essa iniciativa, existem muitas outras que, ao serem encaradas pela gerência e direção da empresa têm um efeito muito positivo em todo o sistema: demonstra para a equipe o interesse em progredir sempre, uma verticalidade na administração alinhada com o nosso tempo e, sobretudo, um diferencial estratégico importante em seu mercado.

Não reinvestir na empresa

Em muitos casos, empreendedores capacitados encontram um nicho para atuar, montam um projeto de negócios bem fundamentado, o transformam em um negócio operacional e... não se programam para  investir novamente com o objetivo da empresa ou escalar (crescer, conseguir mais clientes, oferecer mais serviços etc). É como se fosse o conto da "Galinhas dos Ovos de Ouro" do mundo das empresas.

Desistir na primeira (ou na segunda e terceira) maré baixa

A vida de quem desenvolve o seu próprio negócio não é fácil. Na verdade, ela é o oposto da facilidade, principalmente em mercados competitivos ou instáveis. Mas, uma característica que combina tremendamente com empreendedores de sucesso é a resiliência, a capacidade de suportar a pressão e, ao menor sinal (ou confirmação) de queda, levantar, sacudir a poeira, aprender com os erros e seguir em frente.

Empreender é um ato de coragem. Mas você não está sozinho. Seja com as dicas aqui no Blog ou através de nosso portfólio de seguros para PME, a MetLife está aqui para ajudar. Conte com a gente!