5 dias para você acolher funcionários com problemas pessoais

A diferença entre uma liderança competente e uma liderança excepcional é o cuidado com a sua equipe

Muito se fala da tal inteligência emocional que é necessária a um bom funcionário. Além de técnica, conhecimento e capacidade de evoluir, os colaboradores também são cobrados para ter muito bem delimitada a diferença entre o trabalho e suas questões pessoais. Será que é possível, com o trabalho tomando novas formas e ocupando outros espaços em nossas vidas, deixarmos esses limites tão fixados?

Além de seu conhecimento, todo profissional leva na bagagem sua história e seu momento de vida. Assim como todas as pessoas, eles têm dificuldades e problemas pessoais que acabam atingindo a sua produtividade, seja por stress, por falta de concentração, etc.

O mundo está mudando e as empresas estão muito mais abertas a compreender o funcionário. Essa noção de humanização das relações de trabalho se caracteriza por uma responsabilidade social, de inclusão e acolhimento das pessoas.

A MetLife, ciente da importância desta mudança de cultura, traz 5 atitudes que vão ajudar você a lidar com um funcionário que esteja passando por problemas pessoais, equilibrando as necessidades da empresa com o suporte que ele precisa.

Mantenha o olhar atento

Estar perto da equipe, criar um vínculo com os colaboradores e demonstrar interesse por eles é o primeiro passo para construir uma relação de confiança. Muitas vezes percebemos que há algo de errado com este ou aquele funcionário, mas sentimos que é impossível chegar até ele. Criar esse caminho é papel dos líderes, gestores e RH, que devem fazer da empresa um espaço seguro para que o funcionário se exponha.

Entenda o problema

Não há como encontrar maneiras de lidar com os problemas se não os entendermos. Tenha uma conversa franca e transparente com o colaborador, sem pressioná-lo ou invadi-lo. Lidar com assuntos privados dentro do ambiente de trabalho pode ser como “pisar em ovos”, já que, para o funcionário, além de ter a culpa de “ser um problema”, ainda fica o medo de como a empresa irá reagir e que medidas pode adotar. Por isso, foque a conversa no que pode ser feito para ajudar e não em esmiuçar toda a vida do colaborador.

Garanta espaço e flexibilidade

Seja um problema de saúde, um divórcio, problemas financeiros ou qualquer outra interferência de ordem pessoal que esteja dificultando o rendimento do colaborador, às vezes uma simples flexibilização da sua rotina de trabalho já ajuda. Um dia de folga para resolver pendências, alguns dias de licença para acompanhar um familiar no hospital ou mesmo transferir durante um período o trabalho do escritório para o home office são medidas que podem aliviar a carga de stress e melhorar os resultados desse colaborador.

Avalie as possibilidades de suporte que a empresa pode oferecer

Uma consulta com um advogado do setor jurídico; possibilidade de desconto em serviços através de convênios empresariais; empréstimo consignado para empresas privadas; há muitas facilidades possíveis para as empresas que podem ser repassadas para colaboradores em uma situação crítica. Avalie essas possibilidades e de que forma o colaborador poderia usufruí-las. Muitas vezes algo que é simples e barato pode ser fundamental para resolver de vez o problema pessoal de um funcionário.

Crie um ambiente estimulante

É claro que um bom ambiente de trabalho deve ser regra e não exceção, mas, principalmente quando temos um funcionário com problemas pessoais que está desmotivado ou rendendo abaixo do costume, criar um ambiente estimulante para ele ali dentro pode fazer a diferença para aliviar, ao menos durante o período do trabalho, a sua carga de stress. Envolvê-lo em outras atividades fora do seu setor ou disponibilizar um assistente temporário, por exemplo, pode ajudá-lo.