Como identificar o comportamento tóxico em uma empresa?

Existem várias pessoas desagradáveis que abalam o clima organizacional. Descubra-os e saiba como evitar

No ambiente de trabalho, nos relacionamos com pessoas de todos os tipos: os engraçados, os tímidos, os quietos, os expansivos e os tóxicos. Essa última categoria requer atenção especial.

Por sinal, existe uma pesquisa em relação a esse funcionário. De acordo com a americana Harvard Business School, um colaborador competente economiza à empresa US$ 5 mil, porém, um com comportamentos tóxicos gera um déficit de US$ 12 mil aos custos da organização.

Aqui na MetLife nós acreditamos que o bom andamento em uma empresa depende da maneira como você se relaciona com parceiros de trabalhos, clientes e gestores. Pensando nisso, listamos algumas dicas de como identificar pessoas com essa atitude desagradável.

O sabe-tudo: aquele tipo de profissional arrogante. Ele não escuta o que os outros falam, como também não compartilha seus conhecimentos. Resiste às mudanças e trata os outros com ar de superioridade, enfim, é nojento, tanto que os demais não o querem por perto.

O reclamão: Sabe aquele que nada está bom? Encontra um defeito na roupa do colega, na temperatura do ar-condicionado e até no modelo de papel higiênico? Esse tem o prazer em detonar qualquer momento alegre, e essa conduta influencia outros colaboradores. Portanto, fuja dessa armadilha! Pondere-se antes de criticar algo e se afaste dele. Críticas são bem-vindas, mas torne-as em soluções com seus colegas e gestores.

O procrastinador: Se você tem um colega que diz: “ah, mas isso eu resolvo amanhã” ou “não se preocupe, mais tarde eu entregarei o relatório”, esse é para perceber que não se deve confiar.

Se as tarefas ficam para a última hora, saiba que isso afetará não somente a produção, mas também aos que contam com o trabalho. Busque compreender o desânimo do colega, e em caso de não solucionar o problema, converse com o seu gestor sobre o que está acontecendo para ele tomar uma atitude o mais rápido possível.

O estúpido: é aquele que chega de mau humor e não faz a mínima questão em ser educado. Ele não cumprimenta os colegas, como também é agressivo ao se comunicar.

Se isso abala a sua forma de trabalho, tente amenizar a situação, tratando-o com o respeito que ele deveria ter. Afinal, gentileza gera gentileza, e isso é essencial para um ambiente de trabalho saudável.

O fofoqueiro: todos conhecemos indivíduos que não param de falar um minuto da vida dos outros, esse é o fofoqueiro. Falar dos outros não é legal na sua vida pessoal e muito menos no local de trabalho. Foque no seu valor, e não dê atenção para alguém imaturo que não sabe cuidar da própria vida.

Fique ligado!

Conhecendo melhor os modelos tóxicos, atente-se à conexão com eles, interagindo apenas o necessário. Pense no seu crescimento profissional, isso é mais importante do que lidar com gente que não o levará a nada.