Como tornar a sua empresa acolhedora para mães

Investir em um ambiente favorável às funcionárias que têm filhos pode ser estratégico para as organizações

Realizar o sonho da maternidade ou investir na carreira? Embora esse ainda seja um dilema de muitas mulheres, é cada vez mais comum no mercado de trabalho que uma escolha não exclua a outra. Atualmente, as empresas estão investindo cada vez mais em ações para ajudar as mulheres a conciliar trabalho e cuidado com os filhos.  
 
Mas o que a sua empresa pode fazer para acolher as mães de primeiro, segunda ou mais viagens? A MetLife compartilha algumas ações criativas para te inspirar.  

 
Auxílio-creche 

Para voltar ao trabalho depois do período de licença maternidade, a mãe precisa de uma rede de apoio – que podem incluir parentes, companheiro(a), amigos e até profissionais, como babás – para cuidar do bebê enquanto está ausente. Isso pode demandar custos e muito planejamento, sobretudo das mães que criam os filhos sozinhas.  
 
Pensando na qualidade de vida dessa funcionária, que pode ser afetada pelo desequilíbrio financeiro, muitas empresas oferecem o benefício. Segundo a legislação trabalhista brasileira, o auxílio-creche é obrigatório para empresas que possuem mais de 30 funcionárias.  
 
No entanto, cientes da importância desse apoio financeiro para as colaboradoras, muitas empresas decidem conceder o benefício mesmo sendo isentas da obrigatoriedade. Outras estendem o tempo de duração do auxílio até o 6º ano de vida da criança.  

 
Espaços de apoio à amamentação

A amamentação é um tema muito importante. Afinal, como garantir que o bebê não perca os benefícios do leite materno enquanto elas estiverem fora?  
 
Pensando nisso, muitas empresas já possuem espaços especiais para que as mães que ainda amamentam possam retirar e armazenar o leite materno. Esse “cantinho da mamãe” têm poltronas de amamentação, embalagens para armazenamento e até freezer para guardar o leite extraído.  

 
Política de acolhimento e redução da jornada de trabalho
 

A qualidade de vida da mulher antes do bebê nascer é valorizada por diversas empresas, que oferecem acompanhamento da saúde da gestante para funcionárias, disponibilizando profissionais para orientar as futuras mamães sobre cuidados com si mesmas e com o bebê.  
 
Há empresas que inovaram implementando uma política de acolhimento para funcionárias que inclui a proibição de viagens após o sexto mês de gestação, redução da carga horária no primeiro mês de trabalho depois do fim da licença e criação de espaços para que as mães recebam os filhos no trabalho por algumas horas.  
 

Licença maternidade estendida para companheiros 

Cuidar de um bebê demanda muito dos pais. Por isso, é possível estender os benefícios não apenas à mulher que está de licença a maternidade, mas também ao seu companheiro ou companheira.

Além de proporcionar mais apoio e segurança para lidar com essa nova vida, o benefício ainda contribui – e muito – para a harmonia familiar.

Ações simples como estas podem ser implementadas em todos os tipos e tamanhos de empresa, influenciando diretamente na produtividade e retenção dos seus talentos. Que tal tentar?