Como os conceitos de comunicação não-violenta podem impactar a produtividade dos seus times

Relações respeitosas melhoram o clima da empresa e ajudam a reter talentos

O mundo está em rápida transformação e o ambiente corporativo, como não poderia deixar de ser, segue esse ritmo. Rotinas cada vez mais aceleradas e pressão por produtividade têm aumentado o nível de estresse dos funcionários. Isso levou as empresas a investir em medidas que amenizem esses efeitos e melhorem a qualidade de vida do funcionários, além do clima na organização.

Uma dessas medidas é a comunicação não violenta. Você já ouviu falar nesse método? A MetLife vai explicar o que é como ele favorece o crescimento das empresas.

O que é comunicação não violenta?

A comunicação não violenta (CNV) foi desenvolvida pelo psicólogo norte americano Marshall Rosenberg. O principal objetivo dessa metodologia é fortalecer as conexões e a cooperação entre as pessoas, usando como base valores como a empatia.

A comunicação não violenta é constituída basicamente em 4 pilares: observação, sentimento, necessidade e pedido. Quando esse valores são colocados em prática, a comunicação tende a ser mais assertiva e a transformar positivamente os relacionamentos, tanto profissionais como pessoais.

Os pilares da comunicação não violenta

1. Observação

Como o nome sugere, consiste em observar sem julgar ou rotular o que estamos ouvindo. Comece a praticar a observação evitando emitir opiniões pessoais ou críticas quando alguém estiver explicando um ponto de vista ou apresentando uma ideia ou projeto. Mantenha a concentração no que está sendo narrado e apenas ouça.

2. Sentimento

Ao observar e ouvir o outro, você certamente terá sentimentos positivos ou negativos como reação. No entanto, é indispensável manter o controle emocional e direcionar a energia apenas para identificar que sentimentos são esses: tristeza, raiva, alegria, vontade de contestar.

A compreensão dessas emoções vai ajudar você a desenvolver um diálogo transparente e empático com o outro.

3. Necessidade

Esse pilar se baseia nas necessidades de todos os envolvidos na comunicação. Afinal, além de assimilar as nossas emoções, precisamos estar verdadeiramente abertos para entender o que a outra pessoa está tentando dizer.

Pergunte a si mesmo: o que a pessoa quer? Que sentimentos o seu tom de voz evidenciam? Qual o motivo de determinada atitude, positiva ou negativa? A partir dessa identificação, a chance de um diálogo sem conflito aumenta substancialmente.

4. Pedido

Após observar, ouvir e compreender as próprias emoções e identificar as necessidades do outro, você está finalmente pronto para expressar o que quer. O segredo, a partir deste momento,  é se comunicar de forma clara, objetiva e, obviamente, respeitosa.

Antes de fazer um pedido a alguém, avalie se aquilo é mesmo tangível. E jamais utilize tons de ameaça ou emita opiniões desrespeitosas. Críticas não estão proibidas, mas devem ser pertinentes e construtivas.

A importância da comunicação não violenta para as empresas

A comunicação não violenta ajuda a fortalecer a cultura organizacional porque torna o clima mais leve e aumenta o engajamento, a produtividade e a satisfação dos funcionários.

Afinal, os profissionais do século XXI não aceitam mais trabalhar em empresas nas quais os líderes não sabem manter relações respeitosas, éticas e positivas.