Dicas para melhorar a relação entre juniores, plenos e seniores em sua empresa

Atitudes simples facilitam para melhorar a produtividade

O mundo está em constante transformação, e no mercado de trabalho, os profissionais são compostos por pessoas de diferentes nichos e pensamentos. Pessoas com cargos e estágios diferentes podem ser compreensivas umas com as outras como viver em constantes conflitos. 

A MetLife entende que, em um ambiente corporativo, o respeito é o ponto fundamental para reinar a harmonia. Por isso, reunimos cinco dicas para que você consiga preservar uma conexão entre os profissionais. 

Não deixe atritar a convivência

É provável que os juniores se sintam mal porque os plenos e seniores exijam um pouco mais dos seus serviços, por isso, uma conversa individual ajuda a orientá-los para que não ocorram desentendimentos.

Isso também acontece vice-versa. Muitos seniores abusam dos cargos inferiores, o que leva ao desgaste da relação, afinal, são todos iguais e merecem respeito.

Mas não esqueça de uma coisa: o funcionamento da empresa é o reflexo do seu comportamento. Se você, gestor, age de forma arrogante com os colaboradores, o restante também poderá usar do mesmo comportamento.

Fica uma dica: além de você colocar o papo em dia sobre essas questões, acione a equipe de Rh para deixar claro sobre as possibilidades de crescimento dentro da empresa e quem são as pessoas que estão em seus cargos atualmente.  

Encontre pontos em comum 

Na maioria das empresas, independente do porte delas, existem três gerações: os Baby Boomers (nascidos entre 1946 e 1964), a Geração X (nascidos durante 1965 e 1980) e a Geração Z (nascidos a partir de 2000). É natural que a cultura e a educação diversas possam gerar conflitos. Por isso, encontre pontos em comum para que eles possam conviver em harmonia e amplia a produtividade. Jogos, brincadeiras, reuniões ajudam na interatividade.

Uma vez que os colaboradores passam a se identificar mais uns com os outros, aumenta a coesão da equipe. 

Estimule a troca de conhecimentos

Esse tópico complementa o anterior. Para a convivência entre ambos, busque conhecer as experiências de cada. Os diferentes tipos de conhecimentos são úteis na realização das tarefas individuais e em conjunto. 

Crie espaços de colaboração

Momentos de convívio ajudam na prática das tarefas. Espaços como happy hour, jogos interativos, celebrações e, de forma mais profissional, workshops e cursos com especialistas fazem com que o colaborador estabeleça mais comunicabilidade diante dos demais.

Além disso, ao criar espaços que exigem a colaboração entre funcionários, o gestor valoriza as especialidades de cada um.

Imagina que, em um treinamento, um profissional júnior mostre os avanços de determinada área da tecnologia que possa ser útil para a empresa. Talvez um pleno ou o sênior nunca ouviu falar na tal informação. Aquele espaço poderá trazer insights para novos projetos entre ambos.    

Explore as potencialidades

Um bom gestor ou recrutador precisa conhecer as potencialidades de sua equipe a fim de trabalhá-las em prol da eficiência do grupo. Dessa maneira, ele poderá otimizar as habilidades de cada colaborador, o que resulta em uma integração. Por exemplo, um júnior que mostra um tipo de potencial, pode se unir com um pleno que apresenta as mesmas qualidades.