Dicas para tornar seu ambiente de trabalho mais inclusivo e acolher transexuais

Um ambiente de trabalho diverso pode influenciar e muito nos seus índices de engajamento e produtividade

Você provavelmente já ouviu falar nos termos cisgênero ou transgênero, mas você sabe definir o que essas nomenclaturas significam? Ambos são tipos de identidade de gênero, ou seja, como as pessoas se identificam. CIS é a pessoa que se identifica com o sexo biológico com o qual nasceu, enquanto TRANS é aquele que não se identifica com o seu próprio sexo, como se tivessem nascido no corpo "errado". 

A compreensão e debate sobre esse tema é extremamente importante e têm se tornado cada vez mais comum. Não apenas em relação às nossas vidas privadas, mas também no ambiente profissional.

Aqui na MetLife defendemos e trabalhamos para criar um ambiente de trabalho inclusivo, onde nossos funcionários são valorizados por todos os aspectos que os caracterizam como indivíduos. Afinal, bem-estar no trabalho reflete em funcionários mais engajados e uma relação de confiança entre empregador e empregado. 

Times diversos têm ideias mais inovadoras e as empresas não só devem fazer uso da inclusão, como também devem ficar atentas para que ela seja feita da maneira mais eficaz possível, com direito a políticas de proteção de gênero efetivas. Sendo assim, listamos 6 dicas para você criar um ambiente inclusivo para transexuais:

1 - Comunicação clara e direta com a empresa

Essa dica se relaciona mais diretamente ao Departamento de Recursos Humanos, Departamento de Diversidade e aos gestores. Diz respeito a deixar claro logo no primeiro dia de trabalho deste (a) funcionário (a) o posicionamento da empresa em relação à inclusão, quais são as políticas de proteção de gênero e deixar claro os valores da empresa para se chegar ao melhor comportamento para que ele/ela se sinta acolhido (a). O importante é elevar a conversa não apenas para evitar qualquer discriminação, mas chegar à completa diversidade e inclusão.

2 - Acertar os pronomes é importante

Parece óbvio, mas acertar os pronomes é essencial e uma forma poderosa de mostrar seu respeito aos colegas trans. Cuidar para usar o pronome correto e o masculino e feminino dos substantivos da forma como a pessoa se identifica é FUNDAMENTAL.

3 - Seja um 'aliado'  

O mais importante dever de um aliado é desafiar e abordar qualquer brincadeira ou discussão que ouvir no ambiente profissional. Nem todo mundo está por dentro das terminologias corretas, então ter uma conversa reservada e dar um toque em quem usou algum termo inadequado ajuda a educar o restante do time sobre a causa. Este tipo de interferência funciona melhor com um observador (no caso o aliado) do que se a pessoa afetada pelo comentário tiver que fazer a correção. É sempre bom prevenir para que futuros constrangimentos não aconteçam.

Recrutar aliados e educar outros colegas de trabalho a propiciar um ambiente de trabalho seguro para os funcionários transgênero é a melhor forma de ser um aliado. A missão de criar consciência na equipe não deve ser da própria pessoa, mas da empresa.

4 - Tenha banheiros unissex

Para empresas inclusivas a discussão sobre o assunto é definida de forma simples: os funcionários escolhem o banheiro que querem usar, independentemente de qualquer definição de gênero. Opções neutras são recomendáveis para que não haja desconforto de qualquer funcionário.

5 - Pergunte como ele/ela quer ser chamado

Caso a empresa não esteja preparada para dar conta da diversidade por completo e o nome da pessoa ainda seja o de batismo, certifique-se por qual nome seu colega gostaria de ser chamado. Dica para os gestores: é importante que e-mails corporativos, login no sistema, crachá e outras formas de identificação reflitam esse cuidado.

6 - Respeite a privacidade

Não é porque uma pessoa passou por uma transição de gênero que ela deve querer falar sobre isso. Respeite a privacidade de seus colegas caso eles sejam mais reservados e lembre-se sempre que vocês estão em um ambiente profissional. Perguntas exacerbadas e fofocas não criam um ambiente seguro e saudável para a inclusão.