O conceito de trabalho está mudando. O seu ambiente também.

Trabalhar em espaços compartilhados ou a partir da própria casa são as tendências mais recentes.

Neste mundo de constantes mudanças, uma das atividades humanas que mais passou por transformações foi o trabalho. A começar pelo conceito de trabalho em si. As gerações mais recentes, por exemplo, consideram muito mais o propósito de sua atividade do que tão somente a remuneração que vai ganhar pelas horas. Além dos aspectos mais gerais, o dia a dia também passou por mini revoluções, que vão desde a quantidade de horas trabalhadas até mesmo o espaço em que esse trabalho se desenvolve.

Como nós na MetLife acreditamos sempre que a sua vida pode ser mais produtiva, feliz e completa, trouxemos aqui para o blog alguns exemplos e tendências do mercado de trabalho no que se refere ao ambiente em que você pode desempenhar suas atividades profissionais.

Trabalho remoto é cada vez mais comum

Hoje em dia é cada vez mais comum alternar a sua presença física no escritório de sua empresa com jornadas realizadas a partir de casa, em outras filiais e clientes, graças à tecnologia. Isso ajuda a flexibilizar horários, evitar perda de tempo em situações de caos no trânsito ou quando o clima fica mais instável em determinadas épocas do ano. Com o ferramental correto e o comportamento adequado, a produtividade só tem a ganhar.

Nosso Estudo de Tendências para Funcionários (EBTS 2018) indicou que cerca de 30% dos funcionários respondentes se motivariam com condições de trabalho flexíveis. Em um recorte por idade, esse índice sobe para 34% entre os jovens e 11% de funcionários mais velhos.

A prática tem suas vantagens imediatas: economia por parte do empregado, menos estresse e maior qualidade de vida. Contudo, pelo lado do empregador, é preciso manter regras claras e mensuráveis sobre a dedicação do funcionário neste tipo de arranjo.

Espaços coletivos de trabalho: chance para fazer negócios

Outra tendência que tem disparado nos últimos anos é o trabalho em espaço compartilhado, o famoso coworking. Estes espaços oferecem infraestrutura básica como internet rápida, água e bom mobiliário e se diferenciam por reunir diversas micro-empresas em um único espaço.

A tendência é comercialmente muito interessante, seja pela economia (existem pacotes até mesmo de horas de trabalho ou somente para reuniões pontuais), seja pela oportunidade de conhecer outros parceiros de negócios e até prospectar internamente. Empresas como o Google e o Itaú possuem em São Paulo espaços onde você pode alugar mesas e até mesmo usar o espaço gratuitamente.

Em comum, espaços de coworking trazem ainda outro diferencial: a capacitação. Muitos deles oferecem oficinas, workshops e palestras com profissionais renomados de diversos mercados. Ótima chance para um  networking, né?

Nomadismo Digital: viajar e produzir é preciso

Em alguns casos, a atividade do profissional permite uma aposta ainda mais ousada, a do nômade digital. A "tribo" de profissionais que se autodenomina nômade, opta por um estilo de vida viajante, unindo trabalho remoto à oportunidade de conhecer novas cidades e seus habitantes a cada período de trabalho, que pode oscilar de seis meses a algumas semanas.

A ideia encontra adeptos entre profissionais da economia criativa, que dependem basicamente de sua habilidade em acumular e transformar conhecimento, um laptop e uma boa carteira de clientes.

Escritórios com espaços inovadores

E mesmo quem não saiu pelo mundo ou se reuniu com outras empresas em espaços colaborativos, pode contar com inovações no ambiente de trabalho.

Empresas dos mais variados setores têm investido em escritórios menos "comportados", seguindo a tendência iniciada pelas startups do Vale do Silício. Na lista de inovações entram as já comuns salas de jogo, de descanso, espaço ZEN, cafeteria com produtos orgânicos e até videokê.

A ideia é estimular a criatividade dos profissionais com ambientes mais amistosos e, em alguns casos, criados ou complementados pelos próprios profissionais.

A Harvard Business Review fez o perfil de uma companhia farmacêutica que percebeu que suas vendas aumentavam conforme os representantes comerciais conversaram com membros de outros departamentos da companhia. Então a companhia criou uma área enorme de café e uma cafeteria para facilitar a interação entre seus colaboradores – e percebeu um aumento de vendas de 20% como resultado.

No fundo, tudo é uma questão de propósito

Um ponto importante que devemos sinalizar em meio a tantas tendências e experimentos por espaços de trabalhos diferenciados é que eles refletem a dinâmica no conceito de trabalho em si. Como falamos no início deste post, para as gerações mais novas, é cada vez mais forte a importância do propósito de sua atividade laboral, muitas vezes antes mesmo de salários ou oportunidades de ascensão.

Além disso, a permanência física - ou contratual - no trabalho é cada vez mais relativizada, aumentando a quantidade de trocas de posições em contraste com outras gerações. Os millennials, geração que começou a chegar ao mercado de trabalho no início da década, tem uma relação com o seu tempo pessoal bem diferente, demandando mais horas livres, projetos, sonhos e, novamente, propósito. Neste cenário, é comum que troquem de posição, empresa ou, até mesmo, carreira a cada dois, três anos no máximo.

Assim, além de tudo, durante o processo que dedica parte do seu tempo a uma empresa, ficar "preso" a uma estrutura física parece não funcionar como atrativo.

Neste cenário, empresas que se adaptam a estas tendências, oferecendo a este e a outros públicos espaços, rotinas e ferramentas que sintonizem com o seu jeito de ver o mundo, acabam por serem mais competitivas.