Programas de bem-estar financeiro: Como saber se a sua empresa está fazendo certo?

O bem-estar financeiro dos seus funcionários influencia diretamente os índices de produtividade da sua empresa

Nosso bem-estar financeiro está diretamente ligado à nossa qualidade de vida e, cada vez mais conscientes disso, essa busca tem assumido um posto de grande importância em nossas vidas.

Com isso, é comum vermos empresas cada vez mais preocupadas em auxiliar seus funcionários por meio de programas e ações focadas em educação financeira.

A MetLife, através de seu Estudo sobre Tendências de Benefícios para Funcionários (EBTS 2018) sabe o quão importante são essas ações e que muitas empresas ainda não têm como mensurar o sucesso. Por isso, separamos algumas dicas para você avaliar se as estratégias de educação financeira aos funcionários estão funcionando e como expandi-las.

Desenvolver uma métrica específica é o primeiro passo

Para entender como esse tipo de programa realmente impacta a vida de seus funcionários, é importante entender que a métrica usada precisa ir além dos números. 

Criar uma fórmula que seja capaz de aferir dados como a satisfação com o emprego, mudança de comportamento - após o surgimento do projeto - e engajamento, é essencial para que seja possível compilar um banco de dados confiável para a empresa.

Compreendendo o sucesso do projeto

Possivelmente o número mais expressivo para aferir o sucesso é a taxa de adesão na ação proposta pela empresa, seja ela uma palestra, um quis ou um e-learning sobre o tema. Um alto número de participantes indica que esse tipo de ação deve ser incorporada ao dia a dia da empresa, uma vez que é valorizada pelo funcionário.

Já ao considerarmos o engajamento da equipe, vale estar atento as principais necessidades de cada um. O sentimento de personalização, ou de um conteúdo de fato relevante para a realidade do indivíduo é determinante para melhor os índices de engajamento dos seus funcionários.

Criando novas formas para entender o avanço do programa

O bem estar financeiro de um funcionário influencia diretamente sua produtividade. Nosso estudo EBTS indica que 37% dos funcionários concordam que estão gastando mais tempo pensando em finanças pessoais no trabalho do que deveriam.

Considerar a variação dos índices de produtividade da sua empresa após a implementação de ações e projetos voltados para a educação financeira pode ser, portanto, uma métrica fundamental.

A partir da identificação das métricas que serão utilizadas pela sua empresa é possível ficar mais próximo da avaliação final dos resultados de suas ações: os valores investidos versus o retorno sobre esses valores.