Qual o segredo para resolver os conflitos no trabalho em equipe?

Comunicar suas necessidades e saber ouvir o outro são fundamentais para resolver os conflitos

Os conflitos em geral como uma bola de neve: começa com algo pequeno e logo, uma montanha está formada. No trabalho não é diferente. Com uma rotina tão apertada e com ritmo de trabalho cada vez mais acelerado, é visível o desgaste que os atritos geram, diminuindo a produtividade, dificultando o encaminhamento de processos e até mesmo gerando um clima hostil dentro do escritório.

Mas será que é possível resolver de forma simples e sem grandes impactos os conflitos dentro das equipes na hora de trabalhar em conjunto? Com um olhar atento para as relações e com jogo de cintura, os gestores podem ajudar a resolver os problemas, mas a maior parte das soluções ainda vêm dos colaboradores. Abaixo, algumas dicas da MetLife para ajudar você a resolver melhor os seus conflitos – ou os dos outros!

Comunique-se para entender e não para ganhar

Muitas vezes começamos uma discussão já com os personagens marcados: os dois lados sabem suas posições, sabem os argumentos que irão usar, e até onde querem chegar. A discussão não serve para resolver o problema, mas como num cabo-de-guerra, ganha quem não aguentar até o final.

É o que podemos chamar de comunicação tóxica, que não gera nenhum resultado positivo. Expor sua opinião e motivações e ouvir o outro serve para achar um ponto em comum. Se não for assim, talvez não seja a melhor opção, deixando para um mediador fazer o papel de interlocutor das partes.

Não gere mais problema, foque na solução

Se já há um desconforto, qual a necessidade de transformar aquilo em algo maior? É comum aproveitarmos um momento específico de desavença com alguém para “despejar” tudo que achamos de errado sobre ela. Ao invés disso, foque na resolução do problema apresentado.

Se, por ventura, fizer sentido destrinchar outros problemas, aí sim traga-os à tona. Se não, você só estará criando mais confusões ao invés de resolver a questão inicial.

Respeite as decisões da maioria

Em um mundo tão individualista quanto o nosso, muitas vezes é difícil aceitarmos que nossa vontade não será satisfeita. Muitas situações de conflito nas empresas partem de alguém teimando até o final, mesmo quando já foi decidido o caminho a se tomar.

Respeitar a decisão da maioria, além de um exercício de cidadania, é entender que, para além do indivíduo, existe uma construção coletiva que é maior. Caso dê errado, você terá a sua brecha para apontar outra solução no futuro.

Peça ajuda quando necessário

Às vezes é simplesmente impossível resolver a questão, seja pela proporção que o problema tomou, pela personalidade dos envolvidas ou até mesmo por uma questão de hierarquia. Nesse caso, não hesite em contar com um mediador, seja um superior, ou alguém do RH.

A ideia não é “dedurar” o seu colega, mas sim entender que certos conflitos chegam a um impasse; se o impasse impacta o trabalho, é preciso dar atenção a isso.

Controle suas emoções

Muitas vezes estamos cansados, com problemas em casa, em uma semana estressante e acabamos perdendo o controle com quem não tem nenhuma relação com nossos problemas.

Ter inteligência emocional para saber distinguir esses momentos sensíveis e manter uma espécie de “espaço seguro” para você a para os outros é fundamental. Se você percebe que está em um dia ruim, não é prudente discutir uma falha no processo do seu departamento.

Repasse a informação para outra pessoa resolver, escreva um e-mail ou espere até o dia seguinte para poder conversar com mais calma. O calor do momento quase sempre é uma péssima hora para discussões do trabalho.