Como organizar as finanças do dia a dia quando se tem um filho universitário

Organização e disciplina são qualidades de quem quer ter as finanças em dia

Nossos dias estão cada vez mais corridos. Com tantas informações e novos afazeres é comum não darmos a devida atenção às nossas finanças. Mas com filhos cursando a universidade, a organização pode ser uma grande aliada para gerir todas as necessidades como livros, cópias e transporte.

Pensando nisso, nós da MetLife, separamos algumas dicas de como organizar a vida financeira para que você consiga ter as contas pagas, fazer um investimento e pagar as despesas extras da universidade. Confira elas a seguir.

Crie um orçamento

A primeira coisa a se fazer é criar um orçamento para saber quais são os seus gastos e, claro, as suas fontes de renda. Para isso, crie uma planilha e insira nela todos os seus gastos, como despesas de casa, mensalidade da faculdade, dívidas, cartão, gastos eventuais e pagamentos.

Além disso, coloque todas as suas formas de renda, como recebimento de aluguel, salário, extras, entre outros. O seu orçamento mensal deve ter uma sobra de 10% a 20%. Se não tiver, analise suas despesas e identifique em que parte você pode economizar mais para que você termine o mês com o saldo positivo.

Estabeleça prioridades

Se no seu caso o saldo final do mês está no negativo, é hora de sentar e analisar todos os gastos. A única alternativa é reduzir o que está em excesso ou o que não tem tanta necessidade.

Por isso, estabeleça o que é prioridade e elimine o que não é essencial. Por exemplo, idas ao restaurante e ao cinema, passeios, idas a shows, compras supérfluas e viagens podem ter sua frequência diminuída, até que o orçamento volte a ficar em equilíbrio.

Nesse momento é preciso ter disciplina e foco para manter apenas o que é essencial. Pense que depois que tudo estiver bem, você pode voltar a frequentar mais vezes o restaurante e fazer mais passeios. Isso é importante para manter a mensalidade da faculdade em dia, bem como as contas fixas da casa.

Fique atento às pequenas economias do dia a dia

A rotina pode pregar algumas peças de vez em quando. São gastos pequenos, às vezes invisíveis que, ao final do mês, podem representar um buraco no orçamento. Uma boa dica, por exemplo, é, caso seja possível, organizar sua grade de matérias em apenas uma parte do dia. Isso ajuda a diminuir os gastos com refeições que podem ser realizadas em casa. E mesmo quando isso não é possível, a opção de levar almoços leves e feitos em casa, ajuda a economizar, além de manter a qualidade de vida.

Bolsas na faculdade também podem dar uma ajuda no orçamento. Além das iniciações científicas, algumas instituições oferecem vagas remuneradas em seu corpo administrativo. A ajuda de custo pode ser utilizada em passagens e alimentação.

Outra dica é ficar de olho nas bibliografias sugeridas para sua preparação acadêmica. Algumas obras, dependendo de seu curso, podem já ter caído em domínio público e são gratuitas em projetos como Domínio Público, que oferece um diretório de obras a serem baixadas. Fique de olho também em promoções nas grandes redes de livrarias antecipando compras para os próximos períodos, seja em versões físicas ou digitais.

Crie uma reserva de emergência

Para os pais que não investiram desde cedo numa poupança para a faculdade do filho, é interessante poupar para criar uma reserva de emergência. Assim, em caso  imprevisto, a faculdade e as contas serão mantidas em dia.

O recomendado é que essa reserva seja o suficiente para você se sustentar de três a seis meses, com base em sua renda atual.

Para quem é autônomo ou empresário, esse fundo precisa ser o suficiente para passar de seis a doze meses. Para isso, é importante economizar todo mês e dedicar de 10% a 20% do seu salário para essa reserva de emergência.

Ela pode ser mantida em uma poupança comum ou pode ser aplicada em um investimento de curto a médio prazo e que possa ser sacado a qualquer momento.

Saiba como utilizar o cartão de crédito

O cartão de crédito é um ótimo recurso para ser utilizado quando não temos todo o valor em mãos para comprar algo que precisamos muito ou para pagar uma conta que não pode vencer, como o aluguel, energia e água ou a mensalidade da faculdade.

Porém, quem usa o cartão precisa ter em mente que seu limite nem sempre corresponde ao valor que se tem disponível para pagar a fatura. Por exemplo, se o limite do cartão é de R$ 1.000,00, mas seu salário é de R$ 1.200,00, como você vai fazer para pagar a fatura do cartão mais as despesas que são a parte?

Por isso, é preciso estabelecer um limite próprio e, assim, se disciplinar para mantê-lo. Outra dica importante é não emprestar o cartão, nem que seja para amigos ou familiares. Pois, pode acontecer de você ter que ficar com as dívidas dos seus amigos.

Pratique a educação financeira

Toda a família precisa cooperar nesse momento de economia. Então, ensine e incentive seu parceiro e seus filhos a economizar. Assim, todos terão o mesmo objetivo em mente, facilitando que a meta seja alcançada.

Além das dicas que citamos, investir em um seguro de vida é importante para passar por situações inesperadas com mais tranquilidade.