Descubra quanto custa - de verdade - o seu carro

Gastos pouco frequentes nem sempre são contabilizados, mas eles podem fazer diferença no seu orçamento. Entenda.

Você sabe exatamente quanto pagou pelo seu carro ou qual o valor da prestação, caso ainda não tenha quitado. O que muita gente esquece de colocar na ponta do lápis são os gastos menores ou menos recorrentes que somos obrigados a realizar para manter o veículo.  

A MetLife acredita que planejamento financeiro é fundamental para garantir uma boa qualidade de vida hoje e no futuro. Por isso, listamos gastos que as pessoas não costumam incluir quando calculam quanto custa manter um carro. Dessa forma, esperamos ajudar você a entender de uma vez por todas qual é o peso do veículo nas suas finanças.  

Manutenção, reparo e revisão

Um carro, como toda máquina, sofre desgaste com o uso e precisa de reparos. As revisões periódicas são indispensáveis para o bom rendimento do veículo e devem ser realizadas uma vez por ano ou quando o carro completar 10 mil quilômetros rodados, segundo a maioria das montadoras.  

Se você quer manter o seu carro seguro e em bom estado, deve incluir na revisão serviços como troca de óleo, pastilhas de freio e embreagem. Para carros usados, a média de manutenções por ano fica em torno de R$1.500. Para carros zero, os valores das revisões dependem da montadora, mas sempre há um aumento gradativo: quanto maior a quilometragem, mais cara a revisão. 

Lavagem 

Atualmente há diferentes tipos de lavagem, como seco, a vapor e até a lavagem do motor. Você pode optar por métodos mais simples para economizar, mas não pode deixar de lavar seu carro pelo menos uma vez a cada 15 dias.  

A lavagem é essencial para manter a pintura do carro em bom estado. Em um lava-rápidos, o preço médio para uma lavagem simples pode variar de R$20 a R$50, dependendo da região. Como o carro precisa ser lavado duas vezes por mês, você pode ter que desembolsar até R$100 mensais, totalizando R$1.200 ao ano. 

Combustível 

Você pode até adiar a manutenção anual caso haja algum imprevisto financeiro, mas sem combustível não é possível sequer tirar o carro da garagem.  

O custo mensal vai depender do perfil de cada motorista e de fatores como: a distância percorrida diariamente como o veículo, o motor e o tipo de combustível usado. O preço praticado também varia de acordo com a cidade e até o bairro no qual o posto está localizado. 

preço médio da gasolina em São Paulo, por exemplo, é de R$ 4,20, já o do etanol é de R$2,90 (valores de dezembro de 2018).  

Levando em consideração uma utilização média de um carro popular, enchendo o tanque duas vezes ao mês, com etanol, o valor pode chegar a R$350. Já com gasolina, o preço pode subir para R$480. 

Impostos 

Outro gasto obrigatório que você deve lembrar de incluir na sua planilha. Há uma série de impostos que devem ser pagos para manter um carro, mas o principal é Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), que pode variar de taxas mais baixas a taxas mais altas, dependendo do modelo.  

Alguns veículos são isentos de IPVA (as regras variam de um estado para o outro). Se não é caso do seu, é preciso fazer uma conta para saber o gasto, que pode variar de 1,5 a 4% do valor de venda do carro. Para um carro popular zero com preço de R$42 mil, o valor é de R$1.680, aproximadamente.  

Já o seguro obrigatório, em 2018, custou R$41,40 para automóveis. Existe também a taxa de expedição do Certificado de Registro de Veículo (CRV), o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT). 

Seguro 

O seguro não deve ser considerado um gasto, mas um investimento. É ele que vai garantir que você não fique no prejuízo caso o veículo seja roubado ou se envolva em um acidente. Na contabilização de quanto custa manter um carro, o seguro é parte obrigatória do planejamento. 
 
O valor médio do seguro no Brasil é de R$2.696, que pode variar para mais ou para menos, dependendo de alguns fatores como o modelo do veículo, região de circulação, coberturas e perfil do segurado.  
 
Colocando o valor médio do seguro sendo de R$2.700, o preço desembolsado por mês é de cerca de R$225, podendo aumentar por conta de juros, caso haja parcelamentos em muitas vezes. 

Depreciação 

Carros, ao contrário do que muita gente pensa, não são bens. Diferentemente dos imóveis, eles desvalorizam com o passar do tempo. 
 
O cálculo da depreciação também depende de diversos fatores. Carros nacionais e básicos, com baixa quilometragem, são os que menos desvalorizam, mas perdem de 20% a 30% do seu valor de compra em dois anos. Para os importados, esta porcentagem chega a 50%.