Febre do Gourmet: até onde vale a pena?

Paleterias, doces e hambúrgueres gourmet tem seus fãs, mas muitas vezes, esses negócios não se justificam

O termo gourmet virou uma verdadeira febre nacional e, cada vez mais, está dominando o mercado da gastronomia. Mas nem tudo é o que parece, pois a fabricação de um produto gourmet, exige um alto investimento. Saiba até quando a febre das empresas gourmet pode valer a pena e quando por ser uma furada. Veja o que a MetLife abordou sobre o assunto e não se deixe enganar pela sensação do momento. 

O que faz um produto ser gourmet? 

Para a fabricação de um produto genuinamente gourmet, é necessário preencher 3 requisitos básicos: os ingredientes precisam de ser altíssima qualidade; o sabor deve ser fresco, passando a sensação de que foi feito na hora; a apresentação deve ser perfeita e chamativa. 

O problema é que para você fabricar um produto com essas características, um alto investimento é necessário, o que nem sempre traz um retorno satisfatório, dependendo do tipo de negócio. Muitas pessoas não fazem questão de um produto gourmet e optam pelo tradicional, que é mais barato.  

Paleterias, hamburguerias e brigadeiros gourmet: será que valem à pena? 

Isso é muito relativo, pois vários fatores devem ser levados em consideração. Se você tem um público fiel aos seus produtos gourmet e que compram com bastante frequência, pode ser um investimento interessante, pois o retorno costuma ser satisfatório. Se sua hamburgueria gourmet já existe há muito tempo e tem uma boa clientela fixa, pode valer a pena. Caso contrário, não justifica começar do zero! 

Na verdade, tudo vai depender do ramo de negócio que você pretende atuar. As paleterias, por exemplo, já fizeram muito sucesso anos atrás e estão perdendo espaço no mercado ou sendo incorporados a outros produtos. Os brigadeiros gourmet já tiveram sua era de ouro e agora sobrevivem. A questão é que, às vezes, o investimento não compensa o retorno. 

O preço de um produto gourmet é mais caro do que o tradicional 

Em época de reflexos da crise econômica, qualquer tipo de economia é bem-vinda. E isso inclui na hora da alimentação. O principal desafio que uma empresa que fabrica produtos gourmet enfrenta é a concorrência. Os preços desses produtos precisam ser mais caros, por causa da sua qualidade de fabricação. Se não for dessa forma, o empresário não terá lucro. 

O grande problema é que milhares de pessoas, com o objetivo de economizar, estão dando preferência aos produtos tradicionais que, apesar da qualidade de fabricação inferior, têm preços são mais em conta. Além disso, para os leigos de plantão, o sabor é praticamente o mesmo, o que não compensa pagar até 3 vezes mais por um produto gourmet. 

Dessa forma, caso você esteja pensando em abrir uma empresa gourmet, pense bem sobre qual ramo de negócio vai investir e estude bastante o mercado. Afinal, você precisa de clientes para sobreviver e se eles não existem, seu negócio não se justifica!