Imposto de Renda 2021: Como Fazer a Declaração

Confira as dicas de como fazer sozinho a Declaração do Imposto de Renda sem dor de cabeça.

Como fazer a declaração do imposto de Renda?

O começo de ano é a época em que brasileiros mais precisam dividir o tempo entre vida pessoal, profissional e burocracias. Se você é mais jovem, não chegou a pegar a missão que era fazer o Imposto de Renda em papel e a grande maioria preferia pagar contadores para o trabalho, tamanha era a complicação de preencher os formulários manualmente e fazer os cálculos. A entrega do formulário de papel foi aceita pela Receita Federal até 2010. Com a tecnologia, um software intuitivo do IRPF  facilitou o trabalho e hoje é muito mais simples fazer sua própria declaração e economizar no contratação do contador.

Nós da MetLife sabemos da importância de conscientizarmos e atualizarmos a todos no que diz respeito a novas informações, e para você que vai fazer sozinho sua declaração do Imposto de Renda, que apresentou mudanças confirmadas pela Receita Federal para 2020, juntamos algumas informações importantes. 

Muitas pessoas se sentem confusas sobre o assunto e preferem pagar alguém de confiança para fazer a declaração. Mesmo neste caso, é importante que todos se informem sobre o assunto, pois é algo que implica diretamente em nossas vidas. A seguir, esclarecemos as mudanças do IRPF deste ano, além de outros pontos que você precisa saber para tornar o processo mais fácil. 

Quais as mudanças?

É obrigatório: declarar o CPF de dependentes de qualquer idade; Informar o CNPJ da instituição financeira onde tem conta-corrente e aplicações financeiras; detalhar os bens na declaração; informar sobre a alíquota efetiva utilizada no cálculo da apuração do imposto e preencher os campos de informações complementares. Também é possível fazer a impressão do DARF para pagamento de todas as quotas do imposto, mesmo em atraso. 

Quem tem que declarar o imposto de renda?

Pessoas físicas que residem no Brasil com rendimentos tributáveis superiores a R$28.559,70 em 2020, contribuintes que receberam rendimentos isentos, tributáveis ou não-tributáveis de forma exclusiva na fonte, cuja soma tenho sido maior que R$40 mil em 2020, quem ganhou, em 2020, qualquer capital pela alienação de bens ou manuseou operações em bolsas de valores, aqueles que tiveram posse (após 31 de dezembro de 2020) de bens ou direitos superiores a R$300 mil, quem teve, em 2020, renda bruta superior a R$128.308,50 advinda de atividades rurais, contribuintes da RFB que transferiram à condição de residente de terras brasileiras, quem compensar, no ano referente a 2018, prejuízos relativos à atividade rural de anos anteriores. 

Não caia na malha fina

As exigências aumentaram! Portanto, atente-se aos fatores que podem confundir. Separe todos os documentos com antecedência e confira todas as informações dadas para evitar erros de digitação ou falta de coerência. Além disso, confirme se está com o informe de rendimentos e também com a análise da declaração do IRPF, que te auxilia a identificar pontos da declaração que podem ser melhorados com a finalidade de que você pague menos imposto de renda, aumentando o valor a restituir no próximo ano.

Reveja tudo antes de entregar a declaração e, caso prefira, consulte uma pessoa de confiança. É comum que algumas coisas passem despercebidas e um olhar de fora mais atento pode ajudar nos procedimentos.

Confira mais dicas sobre declaração de imposto de renda no blog da MetLife Brasil, clicando aqui!