Volta às aulas: 7 dicas para economizar na compra de material escolar

Pesquisar é indispensável, mas há outras formas de gastar pouco na hora de ir às compras

Para as crianças, começo de ano ainda é sinônimo de férias. Para os pais, porém, é tempo de comprar o material escolar. E, muitas vezes, por conta da rotina cada vez mais corrida, sobra pouco tempo para pesquisar preços frente as extensas listas que costumam causar arrepios.

Mas fique tranquilo: é possível, sim, sair das lojas e papelarias sem comprometer o orçamento familiar. 

A MetLife se preocupa com a educação dos seus filhos, mas também com a sua saúde financeira. Por isso, separamos 7 dicas para que você faça uma boa economia na hora de comprar o material escolar dos pequenos.

1- Faça um levantamento do que tem em casa

Você compra uma caixa de lápis de cor caríssima e, quando chega em casa, descobre que a criança já tem uma. Situações assim são mais comuns do que imaginamos. Para evitar as compras repetidas - e os gastos desnecessários - a dica é fazer uma espécie de inventário do que vocês têm em casa. 

Peça a ajuda das crianças e faça um levantamento dos materiais de anos anteriores que foram pouco utilizados ou ficaram esquecidos na despensa. Quem sabe eles podem ser reutilizados e esse momento pode até se tornar divertido?

2- Promova uma troca solidária entre pais

Outra dica é a troca. Tem itens em bom estado que o seu filho não vai usar? Converse com vizinhos, parentes e com outros pais da escola. Eles também podem ter materiais em casa que não vão utilizar e que te interessam. Vale trocar ou emprestar.

Além de divertida e econômica, é uma atitude sustentável. Todo mundo sai ganhando!

3- Pesquise 

Alguns itens da lista costumam ser muito caros, por isso é importante comparar os preços cuidadosamente antes de fechar a compra. Use a internet se não tiver tempo para bater perna de loja em loja. 

Os livros didáticos, por exemplo, costumam ser os itens que mais pesam no bolso. Mas você sabia que é possível comprá-los diretamente da editora por um preço bem menor do que os encontrados nas papelarias? Outra dica é garimpar em sebos, que têm exemplares em ótimo estado. 

4- Antecipe as compras

Quanto mais perto da volta às aulas, mas caros ficam os materiais. Por isso, antecipar a compra é fundamental para evitar preços mais altos e longas filas nas papelarias, tão comuns nesse período. 

A dica também vale para quem prefere comprar pela internet.

5- Compre no atacado

Lojas que vendem por atacado costumam ter preços menores do que as do varejo, mas só vendem em grandes quantidades. A saída é reunir um grupo de pais para comprar juntos. 

Produtos básicos como lápis, borrachas, apontadores e canetas – que crianças de quase todas as idades escolares precisam – podem ser comprados nesses lugares com quase 90% de desconto.

6- Negocie descontos e condições de pagamento

Pechinchar ainda funciona, sabia? Por isso, abuse desse direito que todo consumidor tem. Peça descontos e converse sobre as formas de pagamento. 

Se for parcelar, escolha um lugar que não cobre juros. Se for pagar à vista, peça desconto.

7- Evite produtos de personagens infantis

As crianças adoram, mas os cadernos, estojos e mochilas de personagens da moda geralmente custam até três vezes mais. Além disso, esses itens podem distrair a atenção da criança na aula, segundo alguns educadores. 

Se o seu filho insistir muito, converse abertamente com ele sobre o valor do dinheiro, afinal, educação financeira deve começar cedo. Você também pode negociar com a criança, comprando um item apenas do personagem que ela gosta e economizando nos demais.