Ansiedade na quarentena: como enfrentar

Foco e ajuda profissional: conheça outras dicas para ajudar a passar por essa

Falamos muito aqui no blog que "o mundo está em constante mudança", não é mesmo? E uma das mudanças que nos pegou mais diretamente foi a pandemia de COVID-19. Seguindo as orientações da OMS, e nos retirando para o isolamento social, muita coisa aconteceu dentro de nossas casas e dentro de nossas cabeças.

Uma das principais: o aumento da ansiedade. As incertezas da economia, da manutenção de nossos postos de trabalho e, claro, de nossa saúde, colaboraram para gerar, sim, algum medo. Mas, com algumas dicas, talvez fique mais leve enfrentar esse momento. Até porque ele vai passar, certo? 

Entenda que muito do que você está sentindo vai passar

O isolamento e o distanciamento social e também a quarentena são momentos difíceis mas, vale lembrar, que surgiram a partir de uma situação atípica e fora da curva. E no mundo todo. 

Nesse sentido, é sempre bom lembrar que não é um cenário que vai durar para sempre. Ele tende a acabar, país a país, aos poucos, conforme formos nos protegendo e, até mesmo, em um futuro, desenvolvermos uma vacina. 

É normal ter ansiedade e desenvolver aquela sensação que os dias não passam e não importa o que você faça, nada muda. Mas, pense no horizonte à frente e que o mundo muda o tempo todo, como a gente sempre gosta de começar nossos posts aqui no blog. E que, em muitas dessas vezes, é para melhor.

Lembre que algumas coisas estão fora do seu alcance

Controlar o seu tempo, suas tarefas e as reuniões por vídeo com seus colegas de trabalho são ações que estão ao seu alcance e, sim, fazem parte de sua responsabilidade em um momento como esse. Mas, existem outras que  não. 

Você não vai conseguir resolver a questão das vagas nos hospitais, ou as declarações dos líderes mundiais sobre a crise. Na verdade, nem a opinião do seu grupo de família no whattsapp está 100% em suas mãos. Portanto, tenha na cabeça esse pensamento: existem ações que estão fora do seu alcance e, por isso, você não precisa se preocupar com elas.

Busque ajuda profissional sem vergonha ou receio, inclusive online

Ninguém está livre do desequilíbrio que uma pandemia pode causar. A economia mudou, as profissões mudaram, as relações pessoais ainda mais. Em um cenário como esse é perfeitamente normal bater uma insegurança, alguma ansiedade e, claro, medo. 

Buscar ajuda profissional, de um psicólogo, psiquiatra e, em alguns casos, dos dois juntos, é uma boa decisão. Não é vergonha, não é luxo e nem sequer sinal de alguma "fraqueza irreparável" em seu caráter ou força de lugar. É, antes de tudo, um cuidado com você mesmo. Pense nisso!