Aprenda a ler os rótulos de shampoos e entender os riscos à saúde

Determinadas substâncias presentes nesses produtos, não devem entrar em contato com olhos e mucosas

Não existe nada mais relaxante do que chegar em casa depois de um dia exaustivo de trabalho e tomar um delicioso banho, lavando os cabelos com um bom shampoo. Mas você sabia que determinadas substâncias que constam nos rótulos destes produtos podem ser nocivos à nossa saúde?

Com a ajuda desse post que a MetLife elaborou, você vai aprender a ler rótulos de shampoos e ficar por dentro de todas as substâncias que podem ser nocivos à saúde humana. Mesmo na hora do banho, é preciso ter cuidado com o que usamos. 

Sulfatos

Servem para fazer a limpeza e retirar toda a oleosidade do nosso couro cabeludo. Essa substância também hidrata e deixa os cabelos mais suaves, mas em contrapartida, pode causar irritação. Os sulfatos são uma das substâncias que causam espuma, mas podem irritar os olhos e até a pele. Por isso é que os shampoos não devem entrar em contato com os olhos.  

Petrolatos

Tem a função de espalhar todas as outras substâncias presentes no shampoo, o que forma uma espécie de capa. Os petrolatos também acabam impregnando e tirando o brilhos dos fios, mas em contrapartida, promove aquela maciez aos cabelos, que muita gente adora. O recomendado é evitar o contato direto com a pele, pois pode causar dermatites.

Parabenos

São os responsáveis por impedir a propagação dos microorganismos no couro cabeludo. O problema é que essas substâncias são tóxicas e fazem mal à nossa saúde, por isso, é utilizado na composição de shampoos e condicionadores em baixas concentrações. Reações alérgicas e envelhecimento precoce da pele são os problemas mais comuns.  

Triclosan

Trata-se de um agente antibacteriano e antifúngico que está presente na maioria dos produtos cosméticos que usamos. A grande questão é que ainda não se comprovou se essa substância é totalmente segura para uso humano. Segundo um estudo americano, a exposição a longo prazo pode causar doenças hepáticas como cirrose e tumores. 

Espuma é sinal de limpeza? 

Nem sempre pode-se afirmar isso. A indústria acaba produzindo shampoos que formam uma grande quantidade de espuma por mera exigências dos consumidores, que acreditam que a presença dela significa aquela clássica sensação de limpeza. O problema é que o sulfato acaba sendo usado em grandes quantidades pelas pessoas, o que não é necessário.  

Dessa forma, invista em um shampoo que tenha baixos níveis das substâncias citadas neste artigo e não exagere no uso!