Carboidratos são mesmo os vilões da dieta?

Entenda a influência que os carboidratos têm na sua dieta

Na MetLife entendemos o valor que uma boa alimentação proporciona, não apenas para manter a forma, mas para cuidar da saúde. E é natural, em certas fases de nossas vidas, passarmos do peso ideal para evitarmos doenças e problemas de saúde. É nesse momento que recorremos às dietas. 

Dentre as várias opções, a grande maioria é baseada na restrição ou total exclusão de algum tipo de alimento das refeições. Pode ser carne vermelha, tipos específicos de gordura ou o carboidrato. Mas será que retirar o pãozinho do café da manhã e a massa do almoço faz tanta diferença? 

Carboidratos não são os vilões 

Segundo um estudo realizado pela Universidade de Harvard, que foi publicado na revista The New England Journal of Medicine, retirar qualquer alimento da dieta não muda em nada o resultado a longo prazo. 

Durante a pesquisa, 811 pessoas que estavam acima do peso ideal, calculado pelo IMC (Índice de Massa Corporal), se submeteram a três tipos de dieta: sem carne vermelha, redução de gordura e sem carboidrato. Ao final, a pesquisa mostrou que não houve diferença significativa de perda de peso. 

O importante é reduzir a quantidade de calorias ingeridas por dia, de forma a se igualar ao que gastamos. Porém, quando consumimos mais do que gastamos, as calorias se acumulam no corpo em forma de gordura.  

É correto pensar que os carboidratos são muito calóricos e, por isso, precisamos consumi-los em menores quantidades. Isso não significa parar de comer arroz, massa e pão. Mas sim, ao invés de comer três pães no café, passar a consumir apenas um. 

De outro modo, se você não consegue consumir menos carboidrato, é preciso aumentar a atividade física, pois assim, você irá gastar mais calorias. Tudo é uma questão de equilíbrio, de saber o quanto consome e o quanto gasta. 

Consequências de não consumir carboidratos 

Tirar qualquer nutriente da nossa alimentação pode afetar o funcionamento do organismo. A dieta low carb é conhecida por eliminar o carboidrato da alimentação diária. Porém, isso implica em consequências, como: 

Menos energia 

O carboidrato é a principal fonte de energia para manter algumas funções básicas funcionando, como fazer com que o cérebro fique ativo e sintetizar os hormônios. Ao retirar esse nutriente da alimentação aparecem sintomas como dor de cabeça, tontura e falta de ânimo.  

Diminuição dos músculos 

Como o corpo está com falta de energia é preciso retirá-la de outro lugar. O glicogênio presente nos músculos começa a ser consumido e, assim, se tem uma perda muscular. Isso quer dizer que você pode estar emagrecendo, mas também está ficando mais fraco. 

Desenvolvimento de doenças cardiovasculares 

Como o consumo de carboidrato é cessado, é normal que o aumento da ingestão de gordura aumente, pois carnes e laticínios são compostos por proteína e gordura. O problema é que ao ingerir mais gordura, o colesterol pode aumentar, elevando o risco de desenvolver doenças cardiovasculares. 

Sendo assim, o correto é fazer uma reeducação alimentar e não uma dieta com cortes de nutrientes. Na reeducação alimentar não é preciso deixar de consumir nenhum alimento, mas sim consumi-lo na quantidade correta. 

Além disso, muito mais importante do que se preocupar em excluir totalmente uma categoria de alimentos, é prestar atenção na qualidade do que você consome. Quanto mais natural for sua alimentação, mas rica ela será. Substituições muito simples podem ser feitas neste caso. Por exemplo: substitua uma barrinha de cereais comprada no supermercado por uma fruta. 

E lembre-se: sempre consulte um nutricionista para orientá-lo e para montar uma dieta adequada às suas necessidades.