Cerveja e vinho: descubra qual agrotóxico está presente nessas bebidas

Um tipo de agrotóxico está dando dor de cabeça nas lavouras, o que compromete na produção das bebidas

Sabe aquele brinde especial com os amigos? Aquele que marca bons momentos com quem a gente mais curte? Seja na praia ou no aconchegante inverno, cerveja e vinho, com certeza, acompanham bons momentos. Mas você sabia que elas contém agrotóxico?

Na MetLife acreditamos que é importante verificar os ingredientes em nossos alimentos com o objetivo de estarmos cientes da sua composição na hora de levarmos para a nossa mesa. Por isso, vamos mostrar para você qual tipo de agrotóxico faz parte de cervejas e vinhos:

As bebidas apresentam resíduos de glifosato. Ele é o mais utilizado em todo mundo e foi considerado como cancerígeno pelo Centro Internacional de Pesquisas sobre o Câncer, da Organização Mundial de Saúde.

Mesmo cancerígeno, ele continua sendo utilizado? 

Embora os estudos mostrem seu prejuízo no corpo humano, o glifosato é o mais utilizado no mundo. Esse agrotóxico é registrado em 130 países e tem sido aprovado para mais de 100 cultivos diferentes.

Para se ter uma ideia, um juiz da Califórnia condenou a Monsanto, fabricante de pesticidas a pagar uma indenização milionária a um jardineiro diagnosticado com um câncer terminal em razão do contato com o agrotóxico.

Como o glifosato aparece no vinho?

É possível que o glifosato surja nos parreirais orgânicos e biodinâmicos, de cultivos convencionais. Também é possível que a contaminação aconteça por ter sido retido nos solos depois da conversão do cultivo, assim, o veneno poderia ter permanecido “enraizado” por mais de 20 anos. 

Especialistas acreditaram que os níveis de glifosato encontrados não são necessariamente perigosos, mas os potenciais riscos são prejudiciais para a saúde.

O surpreendente nisso tudo é que o agrotóxico está em quase todos os tipos de cerveja. A pesquisa da Organização Mundial de Saúde constatou que entre 20 marcas de vinhos e cervejas, 19 possuíam vestígios de glifosato. Isso indica que mesmo os consumidores querendo evitá-lo devido aos seus efeitos na saúde, teriam dificuldades em fazê-lo.

Existe solução?

Vale ressaltar que muitos agrônomos afirmam que o produto é seguro e pode ser mantido até que seja substituído por uma nova tecnologia. Como o sistema amadurece com rapidez, a agricultura brasileira também evolui no mesmo nível de investimento.

Cuide-se!

Consumir bebida alcoólica pode ser bastante saboroso, mas busque saber os riscos do que você esteja depositando no seu organismo. Descubra se as marcas que você compra são de qualidade e fique atento em suas composições para evitar problemas futuros.