Compulsão alimentar: diagnóstico e tratamentos

Descubra se os seus hábitos alimentares podem ser compulsivos

Numa sociedade pautada pela busca do corpo perfeito, aumenta o número de pessoas que sofrem com distúrbios alimentares. Os mais conhecidos são a anorexia, a bulimia e a compulsão alimentar. Com características diferentes, apresentam, em comum, pessoas com uma auto estima fragilizada.

Sentir-se bem com o seu próprio corpo nem sempre é fácil. Na MetLife acreditamos no bem estar como um valor integral e ao alcance de todas as pessoas. 

Neste sentido, é tão importante conversar, com você, sobre assuntos que são tabu, como os distúrbios alimentares. 

Mais do que um assunto que envolve comida, a compulsão alimentar é uma doença que precisa ser tratada.

Compulsão alimentar: o que é?

A compulsão é um distúrbio alimentar caracterizado pela ingestão de grandes quantidades de alimentos. 

Geralmente, carboidratos e açúcares são os alimentos mais procurados.  

Ao contrário de outros distúrbios alimentares, na compulsão alimentar,  não são frequentes comportamentos conhecidos como compensatórios, como a indução de vômito ou o uso de laxantes.

Comer é bom. Alimentar-se ainda melhor

Você come ou se alimenta? Esta é uma pergunta decisiva quando falamos em compulsão alimentar. 

Uma alimentação saudável é equilibrada. Já numa situação de compulsão, a quantidade dos alimentos ingeridos não corresponde, na maior parte das vezes, a necessidade do organismo. 

A pessoa não sente fome e come até sentir-se desconfortável. Estas alterações são persistentes e podem ser motivadas por estados de ansiedade.

Culpa e vergonha

Culpa e vergonha são sentimentos associados a compulsão alimentar. Normalmente, a pessoa com este tipo de distúrbio, come de forma descontrolada, isolando-se. 

Na sua grande maioria, os portadores deste distúrbio alimentar, escondem de seus familiares e amigos estes picos de ansiedade alimentar dificultando, assim, o diagnóstico. 

Nem sempre é fácil diagnosticar

O diagnóstico da compulsão alimentar nem sempre é fácil. Muito menos simples. 

Pessoas que sofrem com este tipo de distúrbio tendem a esconder a doença, ocultando os sintomas. 

Contudo, é possível. Alguns comportamentos indicam-nos que a pessoa poderá estar sofrendo de compulsão alimentar. 

Comer deixa de ser um prazer e transforma-se num tormento:

  • a pessoa come mais depressa do que o normal;

  • ingere alimentos sem ter fome;

  • Come às escondidas para que ninguém veja;

  • Sente-se desconfortável fisicamente pelo excesso de comida;

  • Deprime-se ou sente-se muito culpado após comer 

Na avaliação de um possível transtorno de compulsão alimentar, o paciente deverá apresentar pelo menos três desses aspectos uma vez por semana durante três meses. 

Ou seja, deve ser um comportamento que já faz parte da rotina e não algo esporádico. 

Fortaleça a sua auto estima 

Uma das principais causas da compulsão alimentar é uma auto estima frágil. A ingestão de alimentos em quantidades desproporcionais permite, num primeiro momento, a sensação de saciedade e conforto.  

É uma resposta do organismo no combate a dores psicossociais mais profundas. 

Podendo estar associada a outros tipos de distúrbios como ansiedade, depressão e bipolaridade.  

Por isso, é tão importante cuidar da sua saúde emocional.  Se você se identifica ou conhece alguém com essas características, procurar um profissional de saúde é essencial.