Detergente ou álcool gel, qual o melhor?

Na verdade, cada um tem seu momento de uso

Quem está antenado com as questões do mundo, sabe que se proteger hoje é uma das questões mais importantes. Você consegue fazer isso de várias formas, desde observando as regras de isolamento social, até usando máscaras quanto tiver que ir à rua e, principalmente, higienizando superfícies e suas roupas.

Quando o assunto é manter limpo tudo ao seu redor, jornais, canais no YouTube e seu Instragram preferido oferecem duas alternativas: o sabão ou o álcool em gel. Como escolher entre os dois? É o que vamos explicar a seguir!

O que afinal essa limpeza toda faz de diferente?

A intenção em manter as superfícies sempre limpas, assim como nossas mãos e roupas, tem a ver com a habilidade que detergentes e álcool têm de eliminar a capa de gordura que protege o material genético do vírus da COVID-19. Ou seja, ao limpar constantemente tudo ao seu redor você, de fato, elimina os vírus, bloqueando o contágio. 

Mas, fica a questão: por que algumas pessoas falam em detergente e outras em álcool em gel? Qual o mais eficiente? Isso depende da situação.

Detergente é mais barato e funciona

Quando você está em casa ou em algum ambiente que conta com detergente neutro ou até sabão comum à disposição, não duvide: ele vai funcionar. Além de mais barato e fácil de encontrar, age rapidamente eliminando as aglomerações do vírus.

Na rua, use e abuse do álcool em gel

Mas nem sempre você está em casa. E quando isso acontece é que o álcool em gel é uma boa opção. Ele pode andar na bolsa e ser utilizado sempre que você entra em contato com uma fonte potencial de contaminação: esbarrar ou ficar muito próximo de outras pessoas ou  apoiar-se com segurar em superfícies de alta exposição ao público (corrimãos, barras de apoio em transporte coletivo entre outras), por exemplo.

Dicas extras para evitar contaminações

Mesmo mantendo tudo limpo e saindo de casa com a sua máscara, vale ficar atento a possíveis meios de se contaminar. São gestos simples mas que justamente estão relacionados a comportamentos que já temos há muito tempo. Portanto, todo cuidado é pouco:

  • Evite tocar ou trocar apertos de mãos e abraços: somos um povo caloroso, não resta dúvida. Por isso temos que nos reeducar para evitar durante esse período que fiquemos muito próximos.

  • Atenção às gotículas de saliva, espirro tosses: é por elas que o vírus viaja pelo ar. Afaste-se de pessoas que estejam tossindo e você mesmo, procure fazê-lo ocultando o rosto com a parte interna do braço e não com as mãos, assim, evitando que esta área fique contaminada, caso você tenha o vírus e seja assintomático

  • Cuidado com celulares, tablets e computadores: a gente passa o dia colado em nossos gadgets. Eles podem estar contaminados e a gente nem saber. Por isso, comece o dia limpando-os com álcool e evite que fiquem passando de mão em mão, mesmo em casa.

Tudo o que estamos vivendo vai passar. Mas, até lá, é importante manter o cuidado com quem a gente mais ama!