Enchentes de verão: prevenção e consequências

Com enchentes cada vez mais frequentes, os desafios são novos e maiores

Recentemente, as chuvas de verão têm sido cada vez mais intensas. Uma das explicações possíveis são as alterações climáticas provocadas pelo aquecimento global.

A chuva, enquanto fenômeno natural, é necessária. As enchentes, em demasia, pelo contrário, são resultado da intervenção humana. E com consequências desfavoráveis. Por exemplo, o contato com a água contaminada da enchente poderá causar uma série de doenças. A Leishmaniose é um dos exemplos. 

A MetLife tem como missão cuidar da saúde, de forma global, das pessoas e da comunidade. Por isso, selecionamos um conjunto de informações sobre as enchentes:  suas causas e como prevenir.

Enchente: cada vez mais frequente

Desrespeitar os ciclos da natureza poderá contribuir para a intensificação das enchentes e suas consequências negativas para as populações.

Em alguns bairros, as enchentes causadas pelas chuvas de verão, são habituais, e seus residentes já estão atentos aos sinais de alerta. Alguns edifícios, em zonas de risco, tomam medidas preventivas como isolantes nas portas de entrada para a contenção do fluxo da água. Mas, por vezes, são medidas inoperantes.

E, atualmente, a intensidade inédita das chuvas, tem atingido com maior intensidade vários pontos das cidades brasileiras: com maior incidência nos estados do Sudeste.

Bueiros: um dos vilões

O verão chega e com ele as chuvas. Anualmente, esta situação acontece, mas, na maior parte dos casos, não significa uma mudança de comportamento das pessoas.  

Sendo muito comum, a inundação, todos os anos, de ruas de vários bairros das mais mais variadas cidades. 

Muitos fatores contribuem para a repetição desta situação. Entre eles, podemos identificar, o acúmulo de detritos nos bueiros. 

Inevitavelmente, os bueiros entupidos com lixo, impedirão a circulação do excesso de água derivada das chuvas.

Mais causas 

Sabemos que, atualmente, as enchentes de verão, mais do que um fenômeno natural, é o reflexo da interferência humana. 

Destacamos comportamentos que concorrem para esta situação:

  • desmatamento;

  • habitações construIdas em lugar de risco; 

  • descarte impróprio de lixo

Faça a sua parte

Há medidas que exigem uma intervenção governamental, mas há, outras, mais simples que cada um de nós poderá executar.

Reciclar e descartar o lixo de forma adequada é uma medida simples e que se incorporada na nossa rotina diária, poderá fazer a diferença em caso de chuva intensa.  

Por exemplo, se o seu bairro sofre com regularidade com as consequências adversas das enchentes de verão, uma das propostas é ampliar as áreas verdes como jardins.

Os habitantes de bairros em risco deverão certificar a eficiência da capacidade de drenagem e escoamento das águas da chuva.

Sinais de alerta

Para quem habita em zonas de encosta, o risco é acrescido. Contudo, há alguns sinais que poderão indicar alerta em caso de enchente: 

  • rachaduras diagonais nas paredes;

  • solo afundado;

  • dificuldade em fechar portas e janelas

Outro dos sinais a ter em atenção é a presença de água barrenta e com um odor característico a esgoto.  

Nestes casos, a área apresenta riscos para a habitação e probabilidade de derrocada em caso de enchente.