Como manter a saúde quando se mora ou está sozinho em casa

Principal cuidado é com a geladeira!

Essa época cheia de rotinas de isolamento social afetou a todos. Mas, uma parcela bem específica da população enfrenta os seus principais desafios de forma ainda mais delicada: inteiramente só. 

São pessoas que vieram para grande metrópoles para tentar uma vida melhor, estudantes, idosos, enfim, um público variados que compartilha o fato de morar sozinho como uma de suas características principais.

Nós da MetLife, cientes dessa questão, resolvemos trazer algumas dicas relacionadas à qualidade de vida, alimentação e comportamento. 

Organize o cardápio da semana

Comer bem tem muito a ver com planejamento. Até porque na hora de improvisar, a gente sempre vai em busca daquele congelado que estava esquecido na geladeira desde o final de semana anterior, ou, então apela para a refeição pronta que nem sempre é a saída mais saudável. 

Para fugir dessas armadilhas, a dica então é organizar um cardápio semanal, se possível com a ajuda de um nutricionista. Nele devem constar ideias de pratos equilibrados e que você curta, de forma a estimular que você siga o que se organizou para reparar. O cardápio ajuda também a planejar melhor as suas compras e até fazer uma economia! 

Dê preferência a alimentos frescos, comprados em pequenas porções. De forma que você sempre esteja preparando suas receitas com itens que acabou de comprar.

Crie metas para controle de peso 

Com o isolamento social, as tentações são muitas. Até por isso, é importante ficar de olho na balança. Sobrepeso afeta a sua saúde em diversos campos e com um pouco de organização dá para combater essa questão.

Com a ajuda do cardápio balanceado, crite metas para controle de peso e demais índices corporais com a ajuda de aplicativos de meçam o seu índice de gordura corporal, com o Plixi. Este tipo de recurso é interessante porque criar uma dinâmica divertida e leve, com em um jogo para manter atenção ao seu peso. 

Troque as recompensas

Pequenos gestos, muitas vezes, têm grandes resultados. Sabe aquela recompensa que a gente cria pra gente mesmo na hora do aperto? Algo como "Se eu conseguir entregar esse relatório, vou me dar de presente uma taça de sorvete"? Que tal mudar esse tipo de recompensa? Focar em alimentos saudável ou até mesmo em outro tipo de retorno, como mais tempo para dormir, uma videoconferência com a família? 

Pense que cuidar da saúde é uma maratona e recompensas baseadas em açúcar, gordura e muito sal, são como correr 100m. Você pode até achar que está levando vantagem mas é impossível manter o mesmo ritmo no longo prazo sem algum prejuízo.