Projetos inclusivos mudam a vida de autistas

Com maior visibilidade, autistas quebram barreiras de inserção na sociedade

Uma das vantagens de um mundo em mudança, globalizado e veloz na troca de informação é a maior visibilidade de questões que afetam a vida de muitas pessoas em todo o mundo. 

Um dos exemplos é o Transtorno do Espectro Autista (TEA) que atinge 1% da população mundial segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). 

Se no passado, o autismo era desconhecido e sujeito à discriminação, atualmente, e de forma progressiva, há um esforço da sociedade para compreender e integrar melhor os seus portadores.

A MetLife alia-se a esse movimento internacional pensando e oferecendo alternativas para garantir o bem estar físico e mental de pessoas portadoras de Autismo e suas famílias. 

Mas afinal o que é o autismo?

O autismo é uma perturbação no desenvolvimento da criança com maior incidência de aparecimento no primeiros três anos de vida. Sendo que alguns dos sinais mais evidentes poderão ser identificados como:

  • dificuldades na socialização e comunicação;

  • repetição de atividades, interesses ou comportamentos

Embora sem cura, o autismo poderá ser tratado com recurso a medicamentos e abordagens terapêuticas  e as pessoas portadoras desse transtorno integradas na sociedade desde a infância. 

Para isso, contribuíram, importantes marcos legais no Brasil e no mundo e uma maior sensibilidade da sociedade civil para a necessidade de integração dessas pessoas.

Neste sentido, são vários os projetos que em todo o Brasil contribuem para a mudança de paradigma em relação aos autistas. Selecionamos três para que você conheça.

1) Um caminho para a inclusão

Um dos bons exemplos é o projeto “ “Acolhendo os Autistas da Ufac: Um Caminho para a Inclusão”, promovido pela Universidade Federal do Acre. 

Este projeto pretende acolher e promover a permanência, em sala de aula, os alunos desta universidade que foram diagnosticados com transtorno de espectro autista. 

Este projeto inclusivo permite minimizar os efeitos do isolamento e discriminação, muitas vezes consequência da falta de informação. 

2) Autistas no mercado de trabalho 

Há uma ideia preconcebida de que os portadores de autismo não podem ser inseridos no mercado de trabalho. 

Iniciativas inclusivas como o Projeto de Gerência de Trabalho (PGT) contribuem para a normalização da presença de pessoas com autismo no mundo corporativo. 

Alguns ajustes como adaptação da intensidade da luz e redução do barulho são necessários, mas não impeditivos de uma carreira profissional que optimize características e habilidades dos autistas como o alto poder de concentração e a memória prodigiosa.

3) Em um Mundo Interior

Ações inclusivas em escolas, universidades e empresas são essenciais e devem ser divulgadas pela comunicação social. 

E este o objetivo que justifica a série documental “Em um Mundo interior”, produzida em 2018 pela Canal Futura. 

Ao longo de sete episódios, histórias de crianças diagnosticadas com autismo, de várias classes sociais e regiões, são contadas. Histórias reais e de superação.

E a sociedade só tem a ganhar com projetos como estes que acolhem e abrem portas para a inclusão. Para a Metlife, uma sociedade inclusiva é uma sociedade saudável.