Remédios vencidos: o que fazer com medicamentos fora da validade

A informação é uma peça importante para garantir que os efeitos do remédio estão mais próximos do ideal, mas - em alguns casos - não precisa ser levada ao pé da letra

Com a correria do dia a dia é comum não nos atentarmos à validade de alimentos e medicamentos, por exemplo.

Por isso, nós aqui da MetLife separamos algumas dicas sobre a validade dos remédios que usamos e riscos que o consumo desses produtos vencidos pode trazer para nossa saúde.

Os mitos do consumo de medicamentos fora do vencimento

É importante destacar que o prazo de validade na caixa dos medicamentos tem mais um fundo mercadológico do que realmente focado nos efeitos do seu uso após essa indicação. 

Isso por conta da indicação realizada pela Organização Mundial da Saúde que, há alguns anos, definiu que o prazo de validade de medicamentos não poderia superar cinco anos.

No entanto, grande parte dos laboratórios opta por estampar em suas embalagens a validade de no máximo dois anos.

Se a validade não é um problema, por que o medicamento não deve ser consumido após o vencimento?

Apesar da diretriz da OMS apontar para um prazo de vencimento maior, o consumo de medicamentos fora da data de validade não pode se tornar algo corriqueiro, principalmente por causa da redução de sua efetividade.  

Isso acontece porque os componentes químicos, a partir do momento em que saem do laboratório, vão perdendo suas qualidades, o que faz com que o medicamento não cumpra com sua função de forma tão eficaz após algum tempo armazenado.

Em que caso os medicamentos fora do prazo de validade precisam ser evitados

Levando em consideração o bom senso, é importante ter em mente que medicamentos como aspirinas, vitaminas e até mesmo outros produtos recomendados para condições menos graves podem ser consumidos por um curto período após seu vencimento. 

Agora, ao falarmos sobre remédios para doenças crônicas e antibióticos, respeitar a data de vencimento é essencial para que um tratamento de longo prazo não seja prejudicado.  

Outro medicamento que também precisa de atenção redobrada com a data de validade, são os colírios, já que eles não possuem conservantes e por isso, logo após seu período de uso, devem ser jogados fora.

Prazo de validade: Uma forma de evitar a automedicação

O prazo de validade dos medicamentos também funciona como uma maneira eficaz de evitar a automedicação. Isso porque, o prazo faz com que o tempo de armazenamento em casa seja reduzido.

Em todo caso, é sempre importante se manter atento ao tempo e as condições de estocagem dos medicamentos para que seja possível avaliar se seu consumo pode ou não ser efetuado.  

Também é importante levar em conta a recomendação das organizações de saúde que recomendam a entrega de medicamentos vencidos em locais que possam realizar a destruição desses produtos.

Por fim, em caso de dúvida, vale a pena conversar com um médico.