É preciso agir!

Setembro Amarelo. 10 de Setembro, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

Falar sobre esse tema é muito delicado, na verdade, aborda uma série de questões. Em especial, com relação à saúde mental, que influencia o comportamento e ações das pessoas, além do tabu em alguns cenários. A campanha visa reverter essa realidade.

O que é o Setembro amarelo?

O Setembro Amarelo é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria. É um movimento que surgiu para conscientizar e alertar as pessoas sobre o suicídio, a fim de promover a saúde mental e dar suporte a todos que precisam.

Origem

A cor da campanha foi adotada por causa da história veridica que a inspirou:

“Em 1994, um jovem americano de apenas 17 anos, chamado Mike Emme, tirou a própria vida em seu mustang 1968 amarelo. Seus amigos e familiares distribuíram no funeral Cartões com fitas amarelas e uma mensagem “Se você precisar, peça ajuda”. Mensagem de apoio para pessoas que estivessem enfrentando o mesmo desespero de Mike, e a mensagem foi se espalhando mundo afora.”

Objetivos do Setembro Amarelo

Todos os anos, o suicídio aparece entre as 20 principais causas de morte em todo o mundo para pessoas de todas as idades. Cada vida perdida representa um parceiro, filho, pai, mãe, amigo ou colega de alguém. O principal objetivo da campanha é a conscientização sobre a prevenção do suicídio, buscando alertar a população a respeito da realidade da prática no Brasil e no mundo. 

Durante todo o mês de setembro, ações são realizadas a fim de sensibilizar a população e os profissionais da área para os sintomas desse problema e para a saúde mental.

Setembro Amarelo em tempos de pandemia

Setembro Amarelo chegou, e estamos vivendo um momento particularmente difícil e, até certo ponto, é esperado nos sentirmos mais estressados, com medo, ansiosos, solitários ou tristes devido ao distanciamento.

Por isso, é importante ficar alerta com essa avalanche de sentimentos negativos, que podem vir despertar o início ou uma depressão ou para algum outro transtorno mental que costuma contribuir para algo mais grave (suicídio).

Entendemos que o isolamento social dificulta ajudar a quem precisa de apoio emocional ou tratamento. Pensando nisso muitos profissionais da saúde, se adaptaram a situação atual. A alternativa e saída mais usada foram as vídeos chamadas. O recurso está sendo bastante usado para oferecer e continuar o tratamento das pessoas que necessitam. É muito importante encontrar uma saída com seu terapeuta e não interromper o tratamento, principalmente nesse período.

Outra dica é: aproveite esse momento e converse mais com seus familiares, companheiros, amigos ou pessoa mais próxima, crie vínculos, estreite mais os laços. Principalmente, mantenha pensamentos positivos, e entenda que isso que estamos passando é só uma fase, tudo irá passar e que mesmo distantes não nunca estamos só.

Como identificar alguém que precisa de ajuda e corre riscos?

As pessoas que correm esse risco, normalmente estão tentando fugir de uma situação da vida que lhes parece insuportável, buscando o alívio.

Detectar o potencial de comportamentos é muito importante para a prevenção. Eles são causados por situações que as pessoas encaram como devastadoras. Por exemplo:

- tristeza profunda;

- distúrbios do sono;

- pensamentos negativos;

- desinteresse e apatia;

- baixa autoestima;

- desleixo com a aparência;

- dores físicas;

- rejeição, término de relacionamento ;

- irritabilidade;

- choro frequente;

- falta de vontade de fazer atividades simples;

- mudanças comportamentais bruscas;

- rejeição a determinados assuntos.

Como se prevenir?

Sim, qualquer pessoa pode estar sujeita a tristeza, pensamento negativos e depressão. Mas é possível aumentar a conscientização sobre o problema com ferramentas fáceis para ajudar a si mesmo. Conheça as cinco etapas:

- Saiba reconhecer os sinais;

- Procure ajudar;

- Faça do bem-estar mental uma prioridade em sua vida;

- Saiba que existe ajuda e que a recuperação é possível;

- Converse!

Como ajudar?

PERGUNTE se a pessoa está bem, está precisando de ajuda, se está pensando em suicídio.

OUÇA sem julgar. Deixe a pessoa falar sem interrupção e faça com que ela se sinta ouvida.

RESPONDA com gentileza e cuidado. Leve a pessoa a sério.

SEJA AFETUOSO. Demonstre empatia, fique calmo, aceitar a queixa da pessoa e ter respeito por seu sofrimento;

ACOMPANHE a pessoa e ofereça apoio na transição da crise para a recuperação, converse com a família (Tente acompanhá-la nas primeiras 24-48 horas após uma crise).

Por que trabalhar o Setembro Amarelo nas empresas é importante?

Nós da MetLife acreditamos que o Setembro Amarelo é mais do que prevenir, é uma excelente oportunidade para a empresa falar e agir em prol da saúde mental, impactando o bem-estar e a qualidade de vida dos colaboradores.

Consequentemente, a equipe desenvolverá o seu trabalho da melhor forma, atuando com mais qualidade. Isso se reflete em benefícios para a empresa e se estende para a vida pessoal desses profissionais, impactando sua família e a sociedade em geral.

Para realizar uma campanha realmente efetiva, devem ser pensadas diferentes ações durante todo o mês, como: dinâmicas e atividades em grupo. Pequenas ações para promover a conscientização e tornar esses dias diferenciados. E o mais importante, conversas, sobre o tema, saúde e bem-estar, física e mental, manter um diálogo aberto e combater o preconceito e discriminação na organização, encorajando quem precisa a buscar ajuda. Oferecer um mês enriquecedor e transformador para os colaboradores.

 

A prevenção do suicídio requer o esforço de todos: família, amigos, colegas de trabalho, membros da comunidade, educadores, líderes religiosos, profissionais de saúde, funcionários políticos e governos e requer estratégias integrativas que envolvam o trabalho no nível individual, de sistemas e da comunidade. Por fim, vale a ressalva da importância da terapia nesse momento delicado.