Conheça a Síndrome Alcoólica Fetal e previna-se

O período da gestão é muito importante para o desenvolvimento do bebê

A vida passa muito depressa, ainda mais para as mães que recém tiveram seus filhos. Aliás, você conhece a Síndrome Alcoólica Fetal? Ela pode se desenvolver nas crianças ainda quando estão se desenvolvendo dentro da placenta.

Nós da MetLife nos preocupamos com o seu bem-estar e saúde, ainda mais se você está grávida. Nessa fase é preciso curtir o momento, mas também garantir o máximo de saúde para seu filho. Sendo assim, confira a seguir, o que é a Síndrome Alcoólica Fetal, quais seus sintomas e como preveni-la.  

O que é a Síndrome Alcoólica Fetal?

A Síndrome Alcoólica Fetal, conhecida pela sigla SAF, é desenvolvida por conta da ingestão de álcool pela mãe no período de pré-concepção e durante a gravidez. Dessa forma, o bebê que nasce com essa síndrome apresenta sintomas, como déficit de atenção, atraso no desenvolvimento neuropsicomotor e alteração facial.

Ainda não se tem um estudo sobre qual a quantidade mínima de álcool ingerida que faz com que o feto adquira a síndrome. Até porque, é necessário a junção de alguns fatores, como o período da gravidez e a quantidade ingerida, para que a SAF seja desenvolvida.

Quais são os efeitos do uso de álcool na gestação?

A nível mundial estima-se que haja de 0,5 a 2 casos de SAF para 1000 nascidos vivos. Esse é um número muito significativo, considerando que ele supera outros distúrbios de desenvolvimento mais conhecidos, como a Síndrome de Down e espinha bífida.

Os efeitos do uso do álcool são muitos e estão relacionados aos órgãos que estão em desenvolvimento durante a gravidez, principalmente o cérebro:

● o desenvolvimento das células cerebrais responsáveis por diversas funções pode ser interrompido;

● ocorre o desenvolvimento anormal de partes diferentes do corpo do feto por conta da morte de células;

● o álcool reduz o diâmetro dos vasos sanguíneos, o que interfere no fluxo de sangue para a placenta, dificultando o fornecimento de oxigênio e nutrientes para o feto.

Esses danos causados pela ingestão de álcool pela mãe durante a gravidez são permanentes e para a vida toda. Ou seja, a SAF não tem cura. O tratamento que pode ser feito em uma criança ou adulto com a síndrome é a ingestão de remédios para aliviar os sintomas que eles apresentam.

É importante salientar que quanto mais cedo for feito o diagnóstico da SAF melhor é para a criança. Pois quando ele é feito de forma tardia gera dificuldades no desenvolvimento cognitivo e motor. Sendo assim, quanto antes ser diagnosticado melhor, pois as terapias levam qualidade de vida para a criança.

Como se prevenir?

A única forma de prevenir a SAF depende da mãe não ingerir álcool durante o período de pré-concepção e na gravidez. Assim, é preciso evitar a ingestão entre quatro a seis semanas antes de estar grávida e durante a gestação.

Além disso, não é aconselhado ingerir bebidas alcoólicas enquanto a mãe estiver amamentando. Isso porque praticamente tudo que a mãe consome é transferido pelo leite para o bebê.

Cerca de 2% do álcool ingerido pela mãe vai para o leite. Dessa forma, pode prejudicar a sono, a aprendizagem da criança e o desenvolvimento neuromotor.

Portanto, é necessário que a mãe tenha o bom senso de que é essencial evitar qualquer tipo de bebida alcoólica durante o período de pré-concepção, na gravidez e enquanto estiver amamentando. Assim, ela evita que a criança desenvolva a síndrome.